ECOS DE AZUL… DE RUBÉN DARÍO

  • Darío Gómez Sánchez

Resumo

No presente artigo são definidos e exemplificados alguns traços do livro Azul… de Rubén Darío, tais como a variedade de gêneros e estilos, a elaboração formal e a tematização da problemática relação entre artista e sociedade. Depois são revisadas as valorações críticas realizadas por Juan Valera e José E. Rodó, contemporâneos do autor, e são sintetizadas as visões sobre o modernismo de Octavio Paz e Ángel Rama, cardinais para uma releitura desta obra. No final, são confrontados alguns tópicos recorrentes da crítica tais como o galicismo, os preciosismos e a evasão para concluir que, se bem Azul… apresenta hoje muitos aspectos anacrônicos, também é verdade que no seu momento originou a transformação da literatura em língua espanhola e assumiu a defesa da criação poética no contexto da recente industrialização; criação que, no caso específico de Darío, permanece vigente por sua notável elaboração.

Publicado
2018-09-12
Como Citar
GÓMEZ SÁNCHEZ, Darío. ECOS DE AZUL… DE RUBÉN DARÍO. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 23, p. 135-151, set. 2018. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/1163>. Acesso em: 19 nov. 2018.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES