Tecendo representações sociais sobre envelhecer em instituições de longa permanência para idosos

Talita Baldin, Claudia Regina Magnabosco-Martins

Resumo


O estudo foi desenvolvido com entrevistas semiestruturadas com dez idosas participantes de grupos de convivência para a terceira idade em um município do estado do Paraná, analisadas sob a perspectiva da Teoria das Representações Sociais. Os objetivos foram investigar as Representações Sociais (RS) de idosos participantes de grupo sobre o cotidiano e o envelhecimento em uma ILPI e a análise de conteúdo realizada com as falas das entrevistadas evidenciou três representações do envelhecer no universo institucional: RS de asilo, de idoso e da velhice em asilo. A imagem central é a de ausência (família, cuidados, atividades, saúde, alegria, expectativas de vida e manutenção de laços sociais), ligada à vivência de abandono e tristeza. Porém, apresenta-se a ILPI como local de proteção e cuidado alternativo para pessoas que não têm família. Recomenda-se investigações com públicos maiores e diversos para melhor compreensão do fenômeno.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, L. F., COUTINHO, M. P. L.; CARVALHO, V. M. L. Representações Sociais da velhice entre idosos que participam de grupos de convivência. Psicologia Ciência e Profissão, 25 (1), 118-131, 2005.

BRASIL. Política Nacional do Idoso. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8842.htm Acesso em: 18 agosto 2015.

____. Estatuto do Idoso. Lei nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. 2004. Disponível em: http://www.amperj.org.br/store/legislacao/codigos/idoso_L10741.pdf Acesso em: 18 agosto 2015.

____. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=176 Acesso em: 18 agosto 2015.

____. Dados sobre o envelhecimento no Brasil. Secretaria Nacional de Promoção de Defesa do Direitos Humanos. Secretaria de Direitos Humanos, Presidência da República. 2013 Disponível: http://www.sdh.gov.br/assuntos/pessoa-idosa/dados-estatisticos/DadossobreoenvelhecimentonoBrasil.pdf Acesso em: 27 de abril de 2016

BRITO, A. M. M. O cuidado do idoso: Representações e práticas sociais. Tese de Doutorado em Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis (SC). 2014.

CACHIONI, M. Universidade da Terceira Idade: história e pesquisa. Revista Temática Kairós Gerontologia,15(7), 01-08. Online ISSN 2176-901X. Print ISSN 1516-2567. São Paulo (SP), Brasil: FACHS/NEPE/PEPGG/PUC-SP, 2012.

CAMARANO, A. A. Instituições de longa permanência e outras modalidades de arranjos domiciliares para idosos. In: NERI, A. L. (org.). Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na Terceira Idade. São Paulo: Editora Educação Perseu Abramo, 2007, p.169-190.

CARVALHO, R. M. O processo de envelhecimento na visão dos idosos participantes dos grupos de convivência de Volta Redonda: subsídios para confecção de cartilha informativa. 2010. 108f.

COSTA, M. C. N. S.; MERCADANTE, E. F. (2013, março). O Idoso residente em ILPI (Instituição de Longa Permanência do Idoso) e o que isso representa para o sujeito idoso. Revista Kairós Gerontologia,16(2), 209-222. Online ISSN 2176-901X. Print ISSN 1516-2567. São Paulo (SP), Brasil: FACHS/NEPE/PEPGG/PUC-SP

CREUTZBERG, M., GONÇALVES, L. L. H. T.; SOBOTTKA, E. A. Instituição de longa permanência para idosos: a imagem que permanece. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, Abr-Jun; 17(2): 273-9, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n2/08.pdf Acesso em: 18 agosto 2014.

DAHER, D. V.; DEBONA, K. V. Reelaborando o viver: o papel do grupo no cotidiano de mulheres idosas. Esc Anna Nery (impr.), out-dez; 14(4):670-676, 2010. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=127715826003 Acesso em: 18 agosto 2015.

DEBERT, G. G. A reinvenção da velhice: socialização e Processos de Reprivatização do Envelhecimento. 1. ed. São Paulo: EDUSP, 1999, 266 p.

ELIAS, N. A solidão dos moribundos – seguido de “Envelhecer e morrer”. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2001, 107 p.

GOFFMAN, E. Manicômios, prisões e conventos. 8ª Ed. São Paulo: Perspectiva, 2008, 316 p.

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Instituições de longa permanência para idosos: caracterização e condições de atendimento/ Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Curitiba: IPARDES, 2008, 109 p.

MAGNABOSCO-MARTINS, C. R., VIZEU-CAMARGO, B. & BIASUS, F. Representações sociais do idoso e da velhice de diferentes faixas etárias. Univ. Psychol. Bogotá, Colombia, v. 8, n.3, PP. 831-847. Sep-dic, ISSN 1657-9267, 2009.

MOSCOVICI, S. (1978) A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978, 291 p.

NERI, A. L. O legado de Paul B. Baltes à Psicologia do Desenvolvimento e do Envelhecimento. Rev. Temas em Psicologia, vol. 14, n. 1, p. 17-34, 2006.

NERI, A. L.; CACHIONI, M. Velhice bem-sucedida e educação. In: Neri, A. L. & Debert, G. G. Velhice e sociedade. Campinas, SP: Papirus, 1999, p. 113-140.

PINTO, S. P. L. C.; SIMSON, O. R. M. V. Instituições de Longa Permanência para Idosos no Brasil: Sumário da Legislação. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 15(1): 169-174, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-98232012000100018&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 18 agosto 2015.

RIZZOLLI, D.; SURDI, A. C. Percepção dos idosos sobre grupos de terceira idade. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 13(2): 225-233, 2010. Disponível em: http://revista.unati.uerj.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232010000200007&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 18 agosto 2014.

RODRIGUES, L. S.; SOARES, G. A. Velho, idoso e terceira idade na sociedade contemporânea. Revista Ágora, Vitória, n.4, p. 1-29, 2006. Disponível em: http://www.pucgoias.edu.br/ucg/unati/ArquivosUpload/1/file/Artigos%20e%20Cap%C3%ADtulos%20de%20Livros/Velho,%20idoso%20e%20terceira%20idade%20na%20sociedade%20contempor%C3%A2nea.pdf Acesso em: 18 agosto 2014.

SANTOS, V. B., TURA, L. F. R.; ARRUDA, A. M. S. As Representações Sociais de pessoa velha construídas por adolescentes. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro; (14(3):497-509, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-98232011000300010&script=sci_arttext Acesso em: 18 agosto 2014.

SIQUEIRA, M. E. C.; MOI, R. C. Estimulando a memória em Instituições de Longa Permanência. Em SIMSON, O. R. M. V., NERI, A. L.; CACHIONI, M. (orgs.). As múltiplas faces da velhice no Brasil. 2ª Ed. Campinas: Editora Alínea, 2006, p. 165-186.

TORRES, T. L. Pensamento social sobre envelhecimento, idoso e rejuvenescimento para diferentes grupos etários. (Doutorado em Psicologia) – Curso de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. 2010. 367f.

VELOZ, M. C, NASCIMENTO-SCHULZE, C. M.; CAMARGO, B. V. Representações Sociais do envelhecimento. Rev. Psicol. Reflex. Crit. Vol.12, n.2, Porto Alegre, 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721999000200015 Acesso em: 18 agosto 2015.

VERAS, R. P.; CALDAS, C. P. Promovendo a saúde e a cidadania do idoso: o movimento das universidades da terceira idade. Ciência & Saúde Coletiva, 9(2):423-432, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta é uma revista criada, editada e gerenciada por discentes de graduação e pós-graduação em Psicologia. Para qualquer dúvida, esclarecimento ou crítica, envie e-mail para revistaparresia@hotmail.com