Definida a temática do volume 28

2019-12-06

Tema: Resistência na literatura brasileira contemporânea

 

Organizadores: Benedito Antunes (UNESP), Eurídice Figueiredo (UFF) e Sandra Assunção (Université Paris Nanterre)

 

Prazo máximo para remessa de originais: 25 de abril de 2020

 

Ementa: Esta edição de Miscelânea acolherá estudos sobre obras literárias produzidas principalmente a partir de 2000 que buscam refletir sobre os desdobramentos traumáticos decorrentes do contexto ditatorial brasileiro (1964-1985). De acordo com o livro A literatura como arquivo da ditadura brasileira de Eurídice Figueiredo (Rio de Janeiro: 7Letras, 2017), foram publicados, a partir de 1964, romances de visada utópica ou distópica, relatos autobiográficos, romances alegóricos e de testemunho e, mais recentemente, romances “de maior depuração mesmo ao tratar do trauma dos desaparecidos” (2017, p. 48). Este número da revista é dedicado principalmente a essa produção de maior depuração temática e formal, possibilitada pelo distanciamento temporal, que torna as obras menos datadas e, por isso, mais contundentes na abordagem dos traumas vividos. Serão aceitos também artigos que comparem o tratamento dado à questão no Brasil e em outros países do Cone Sul com experiência repressiva similar na mesma época. Espera-se, com isso, contribuir para delinear uma tendência da literatura brasileira contemporânea de revisitar os anos de chumbo, numa forma de resistência ao esquecimento. A grande quantidade de títulos sobre o tema publicados nos últimos anos indica que a literatura está tentando contribuir para fazer um trabalho de memória que a sociedade não fez até agora. O momento político pede uma reflexão sobre a permanência da violência policial, a crise dos valores democráticos, com a depreciação da política e certa nostalgia do passado ditatorial.