O projeto inicial da Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social começou a ser formulado no ano de 1991, por ocasião do I Seminário de Estudos Literários: Miscelânea Literária, - evento que propiciou a ideia do título da revista. Constituindo um anseio coletivo de discentes e docentes, a publicação foi coordenada pelos então alunos Osvaldo Copertino Duarte, Cleide Antônia Rapucci e Alvaro Santos Simões Junior e supervisionada pelos professores doutores Elêusis Mirian Camocardi, Léa Mara Valezi Staut, Sueli Fadul Villibor Flory, Tania Celestino de Macêdo e Luiz Roberto Velloso Cairo, criador do chamado SEL, cuja décima-terceira edição foi realizada em outubro de 2016.

A capa inicial da revista foi idealizada e elaborada pelos irmãos Osvaldo e Audálio Duarte, contando também com a especial contribuição do poeta Augusto de Campos, que gentilmente permitiu a inserção de seu poema “Póstudo”.

Em sua proposta inicial, a Miscelânea apresentou-se como uma revista aberta a todas as tendências e linhas de pesquisa na área dos estudos da arte literária, priorizando-se a diferença como a semente que alimenta o debate acadêmico e impede a formação de espaços endógenos nocivos ao crescimento intelectual.

Desse projeto inicial, resultou a publicação de três volumes em formato impresso, correspondentes aos anos de 1993 (vol. 1), 1995 (vol. 2) e 1998 (vol. 3). Nesses volumes, a Miscelânea contou com colaborações de pesquisadores brasileiros e estrangeiros que firmaram a posição da Universidade enquanto “território sem fronteira dos confrontos, das dissensões que impulsionam o conhecimento, o saber, a opinião, a pesquisa, a experiência” (Luiz Roberto Velloso Cairo.  Duas palavras.  Miscelânea, Assis, v. 2, p. 7, 1995).

Ajustando-se às tendências atuais, a Miscelânea foi convertida em revista eletrônica a partir do volume 4 (jun.-nov. 2008), com periodicidade semestral, contando com as vantagens das disposições e recursos oferecidos pelos meios eletrônicos, tais como: baixo custo de produção, acessibilidade irrestrita e flexibilidade do suporte técnico. Em seus propósitos editoriais, a revista visa a conciliar a abertura de um espaço para o aprimoramento da formação de jovens pesquisadores, que compõem a sua equipe, com o compromisso de elaborar uma revista científica que possa responder pela qualidade de suas publicações.

Do citado volume 4 ao volume 9 (jan.-jun. 2011), a Miscelânea ficou sob a responsabilidade de alunos do Programa de Pós-Graduação em Letras, especialmente Jaison Luís Crestani e Adriana Dusilek, aos quais se deve reconhecer o mérito de retirar a publicação do limbo em que jazeu por dez longos anos. Esse grupo de alunos restabeleceu a revista e manteve a regularidade de sua publicação até que, a partir do décimo volume (jul.-dez. 2011), os docentes resolveram engajar-se plena e definitivamente no trabalho editorial da publicação, que desde sua origem esteve intimamente associada ao Programa.