RECURSOS PARÓDICOS E REFERÊNCIAS HISTÓRICAS PARA A REPRESENTAÇÃO DAS PRINCESAS CONTEMPORÂNEAS EM O PRÍNCIPE ATRASADO, TEXTO DRAMÁTICO JUVENIL DE CASSIA LESLIE E RICARDO DALAI

  • Fabiano Tadeu Grazioli Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Erechim.
  • Fulvio Torres Flores Universidade Federal do Vale do São Francisco
Palavras-chave: Paródia, Intertextualidade, Dramaturgia juvenil, Papel social da mulher, O príncipe atrasado

Resumo

O texto dramático O príncipe atrasado, de Cassia Leslie e Ricardo Dalai (2018), é uma paródia teatral aos contos de fada que desconstrói alguns estereótipos desse gênero, especialmente no que se refere à figura do príncipe como agente salvador e da princesa como ser incapaz de ação e que necessita ser salva. Apresentando breves contribuições de autores que iluminam a leitura dos contos, da literatura infantil e juvenil, e da literatura como um todo, partimos para a explicitação e análise das situações paródicas mais relevantes na peça. Traçando percursos entre a ficção e a História, expomos que a mudança das atitudes e concepções de vida das princesas da peça está em consonância com a biografia de mulheres que ocuparam posições de destaque e não dependeram da figura masculina para ocupar o lugar pessoal e social que desejaram. O modo de pensar e agir das princesas contemporâneas da peça, que não mais aceitam papel secundário ou de enfeite na vida dos homens, exige do Príncipe atrasado um reexame de suas concepções na busca por um amor romântico real, sem as amarras das convenções sociais. O manejo dessas temáticas na construção da dramaturgia juvenil oferecem ao leitor a possibilidade de repensar e reconsiderar, por meio da criação literária, concepções herdadas culturalmente e assimiladas durante a vida.

Biografia do Autor

Fabiano Tadeu Grazioli, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Erechim.

Doutor e mestre em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo (UPF). Professor do Departamento de Linguística, Letras e Artes da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Erechim/RS  e da Faculdade Anglicana de Erechim/RS (FAE).

Fulvio Torres Flores, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutor em Letras pelo Programa de Estudos Linguísticos e Literários em Inglês da Universidade de São Paulo. Docente da Universidade Federal do Vale do São Francisco, no curso de licenciatura em Artes Visuais, e no Programa de Pós-graduação em Extensão da Rural, orientando mestrado profissional na linha de pesquisa Identidade, Cultura e Processos Sociais.

Publicado
2020-01-16
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES