METATEXTUALIDADE E POÉTICA LOBATIANA

  • Sonia Aparecida Vido Pascolati
Palavras-chave: Metatextualidade, poética lobatiana, contos

Resumo

A análise de contos de Monteiro Lobato (1882-1948) publicados nos volumes Urupês, Cidades mortas e Negrinha revela, dentre outros aspectos, seu pendor metacrítico. Em meio às narrativas, pululam discussões sobre conceitos como literatura, romance e conto, além de reflexões sobre a necessidade de modernização da linguagem literária, num diálogo constante com diferentes estéticas.O estudo da metatextualidade em contos do escritor paulista permite-nos esboçar uma poética lobatiana, isto é, compreender, por meio da própria ficção, os ideais estéticos do escritor.

Publicado
2017-10-24
Edição
Seção
DOSSIÊ: MONTEIRO LOBATO E SUAS MÚLTIPLAS FACETAS.