A PÓETICA DA FLUIDEZ EM MICHÈLE ROBERTS

  • Polliana Cristina de Oliveira
Palavras-chave: Feminismos, religião, metaficção, literatura contemporânea

Resumo

Neste artigo serão discutidos alguns  aspectos relevantes na obra de Michèle Roberts, escritora inglesa contemporânea. Roberts escreve desde 1978 e possui, até o momento, um conjunto de 12 romances que problematizam questões de gênero e de estrutura textual. São romances de nítido caráter experimental, os quais gradualmente rompem com a noção de tempo e espaço, bem como introduzem temáticas inovadoras que merecem ser questionadas ou, ao menos, serem observadas sob um novo ponto de vista, além de se aliar à teoria e crítica feminista e ao movimento pós-moderno. Esse efêmero estudo priorizou a análise do elemento da ruptura de limites que acontece com tanta frequência na obra de Roberts, para tanto, após um panorama de sua obra, foi escolhido um livro em particular, In the Red Kitchen, o qual ainda não tem tradução para o português.

Publicado
2017-10-24
Edição
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES