A Igreja, o Estado e o Monumento

algumas considerações sobre as festividades de inauguração do Cristo Redentor no Rio de Janeiro (1931)

Palavras-chave: Cristo Redentor, Rio de Janeiro, Estado Laico, Igreja Católica

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a inauguração do monumento do Cristo Redentor ocorrida no Rio de Janeiro, na época capital federal da República. Tomando como fontes duas capas de edições do jornal O Globo, o presente trabalho revela uma compreensão frente à manifestação discursiva da Igreja durante o evento, como resposta aos efeitos da laicidade executada pelo Estado durante o início da República. Para tal efeito, realizou-se um levantamento de dados, utilizando de autores da historiografia para a investigação bibliográfica e da análise do discurso como metodologia para obtenção dos resultados. A pesquisa demonstrou que o monumento do Cristo Redentor representou uma tentativa da Igreja Católica em romper com alguns preceitos da legislação que tornava o Brasil um país laico, de modo a realçar a relação da crença católica com a política do Estado na primeira metade do século XX.

Biografia do Autor

Caio Murilo Pereira

Graduando e formando em História pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba-PR. Atual bolsista pelo Programa de Residência Pedagógica da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Referências

BRASIL. [Constituição (1824)], Cap. I – Do Poder Moderador, Art. 98. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao24.htm. Acesso em: 15 ago. 2020.

CARVALHO, José Murilo de. O papel e a complexidade do liberalismo no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, v. 26, n. 76, pág. 391-394, dezembro de 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142012000300033&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 ago. 2020.

CASTELLOTTI, Felipe. O monumento esculpido em concreto. In: LEONEL, Kaz; NIGGE, Loddi (org.). Cristo Redentor: história e arte de um símbolo do Brasil. Rio de Janeiro: Aprazível, 2008, p. 71-80.

CHRISTO reina, impera e livrará o Brasil de todos os males. O Globo, 2a ed., 31 de out. de 1931, p. 1. Disponível em: https://www.acervo.oglobo.com. Acesso em: ago. 2020.

DEPOIS de abertos na cruz para salvação do mundo, abrem-se hoje para nossa cidade os braços do Christo Redemptor. O Globo, 1a ed., 31 de out. de 1931, p. 1. Disponível em: https://www.acervo.oglobo.com. Acesso em: ago. 2020.

FAUSTO, Bóris. A Revolução de 1930: historiografia e história. São Paulo: Companhia de Letras, 1997. 16a ed., 150p.

FREITAS, Anielle Correia. Amigos do Cristo Redentor: do turismo à peregrinação? 2007. 57f. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

GIUMBELLI, Emerson. A modernidade do Cristo Redentor. Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, vol. 51, n.1, 2008, p. 75-105. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/dados/v51n1/a03v51n1.pdf. Acesso em: 25 jul. 2020.

GREGOLIN, Maria do Rosário. A análise do discurso: conceitos e aplicações. Revista Alfa, São Paulo, v. 39, p. 13-21, 1995. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/3967/3642. Acesso em: 09 ago. 2020.

GRINBERG, Lúcia. República Católica, o monumento ao Cristo Redentor do Corcovado. In: KNAUSS, Paulo (org.). Cidade Vaidosa: Imagens Urbanas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1999, p. 57-72.

HERMANN, Jaqueline. Religião e política no alvorecer da República: os movimentos de Juazeiro, Canudos e Contestado. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida Neves. (org.). O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. 6a ed.- Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013. p. 121-125.

LAPUENTE, Rafael Saraiva. O jornal impresso como fonte de pesquisa: delineamentos metodológicos. In: Encontro Nacional de História da Mídia, n. 10, 2015, Porto Alegre, p. 1-12. Disponível em: https://www.ufrgs.br. Acesso em: 12 ago. 2020.

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. In: LE GOFF, Jacques. (org.). História e Memória. Tradução de Bernardo Leitão [et al]. Campinas: Unicamp, 1990, p. 462-473.

RODRIGUES, Antônio Edmilson Martins. O Cristo Redentor sempre esteve lá, no alto do nosso imaginário. In: LEONEL, Kaz; NIGGE, Loddi (org.). Cristo Redentor: história e arte de um símbolo do Brasil. Rio de Janeiro: Aprazível, 2008, p. 43-51.

SEVERO, Fernanda. Espaço arquitetônico e espaço turístico: memória, história e simulacros. In: Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, 2., 2004, Caxias do Sul (RS). Anais Eletrônicos [...] Caxias do Sul: SeminTUR, 2004, p. 1-14. Disponível em: https://www.ucs.br/site/midia/arquivos/27-espaco-arquitetonico.pdf. Acesso em: 19 set. 2020.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Ela vai cair: o fim da monarquia no Brasil. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; STARLING, Heloísa Murgel (orgs.). Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia de Letras, 2015a, p. 291-317.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Samba, malandragem e muito autoritarismo na gênese do Brasil moderno. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; STARLING, Heloísa Murgel (org.). Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia de Letras, 2015b, p. 351-363.

SKIDMORE, Thomas Elliot. A Era Vargas, 1930-45. In: SKIDMORE, Thomas Elliot. (org.). Brasil: de Getúlio a Castello (1930-64). Tradução de Berilo Vargas — São Paulo: Companhia de Letras, 2010, p. 36-47.

SILVA, Paulo Julião da. A Igreja Católica e as Relações Políticas com o Estado na Era Vargas. In: Simpósio Nacional de História da ABHR, 13. 2012, São Luís. Anais Eletrônicos [...] São Luís (MA): ABHR, 2012a, p. 1-11. Disponível em: http://www.abhr.org.br/page/14. Acesso em: 13 mai. 2020.

SILVA, Paulo Julião da. A Igreja Católica e a questão educacional no Brasil durante a Era Vargas. In: XI Encontro Estadual de História da ANPUH, 11, 2012, Porto Alegre. Anais Eletrônicos [...] Porto Alegre: ANPUHRS, 2012b, p. 1300-1309. Disponível em: http://www.eeh2012.anpuh-rs.org.br/resources/anais/18/1346280564_ARQUIVO_textoparaaanpuh-rs.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

SOBRE a InfoGlobo. InfoGlobo, Rio de Janeiro, p. 1, 2009. Disponível em: https://www.infoglobo.com.br/Anuncie/institucional.aspx. Acesso em: 18 ago. 2020.

VISCARDI, Cláudia. Aliança “café com política”. Nossa História, São Paulo, v. 2, n. 19, maio de 2005, p. 45.

Publicado
2021-06-30
Como Citar
PEREIRA, C. M. A Igreja, o Estado e o Monumento. Faces da História, v. 8, n. 1, p. 406-422, 30 jun. 2021.