De balseiros a patrulheiros ambientais

as trajetórias dos pescadores de Porto Ubá no médio rio Ivaí-PR (1930-2020)

Palavras-chave: Pescadores, Rio Ivaí, Porto Ubá, História ambiental

Resumo

Analisamos a trajetória dos pescadores em Porto Ubá (Lidianópolis-PR), um povoado que surgiu com a ocupação privada das terras entre os rios Ivaí e Corumbataí (1930-1960). Nesse mesmo cenário, emergiu a atividade pesqueira no médio Ivaí, a partir de algumas famílias que encontraram no rio e na pesca alternativas de renda. Evidenciamos a trajetória desses pescadores que, inicialmente, foram balseiros e criadores de porcos (safristas), e protagonizaram transformações da atividade de pesca: a primeira fase informal, não legalizada e não reconhecida (1930-1980); a segunda, quando a pesca foi regulamentada no rio e os pescadores se tornaram profissionais (1980-2000); a última fase, quando a pesca foi proibida e os pescadores se reinventaram, criando a Patrulha Ambiental do Rio Ivaí (2000-2020). A história oral foi a principal fonte documental, mas não a única, permitindo demonstrar a metodologia como suporte para a história ambiental.

Biografia do Autor

Simone Quiezi

Mestre em História pela Universidade ­­­Estadual de Maringá, Maringá-PR, doutoranda em História pela Universidade ­­­Estadual de Maringá, Maringá-PR. Professora da Educação Básica da Rede Estadual do Paraná. Integrante e pesquisadora do Laboratório de Estudos Históricos do Contemporâneo (LABEHCON/UEL).

Gilmar Arruda, UEL-UEM

Doutor em História. Professor aposentado do Departamento de História da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Membro dos Programas de Pós-graduação em História da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Integrante e pesquisador do Laboratório de Estudos Históricos do Contemporâneo (LABEHCON/UEL).

Referências

ALBERTI, Verena. O lugar da história oral: fascínio do vivido e as possibilidades de pesquisa. In: ALBERTI, Verena. Ouvir contar: textos em História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004, p. 15-31.

ARRUDA, Gilmar (Org.). A natureza dos rios. História, memória e territórios. Curitiba: Editora UFPR, 2008.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941. Código de Processo Penal. Diário Oficial da União, Brasília, D.F., 13 out. 1941 [retificado em 24 out. 1941]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del3689.htm. Acesso em: 10 nov. 2019.

FARIAS, Cezar Felipe Cardozo. A terra não estava vazia e a mata não era virgem: a história da Fazenda Ubá no Vale do Ivaí-PR (1853-1929). 2020. 183 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2020.

Francisco Rodrigues. Entrevista concedida a Simone Aparecida Quiezi. Lidianópolis-PR, 10 set. 2019.

FRANCO, José Luiz de Andrade et al. (Org.). História ambiental: fronteiras, recursos naturais e conservação da natureza. Rio de Janeiro: Garamond. 2012.

FRANCO, José Luiz de Andrade et al. (Org.). História ambiental, volume 2: territórios, fronteiras e biodiversidade. Rio de Janeiro: Garamond. 2016.

FRANCO, José Luiz de Andrade et al. História ambiental: natureza, sociedade, fronteira. Rio de Janeiro: Garamond, 2020.

GIULIETTI, Nelson; ASSUMPÇÃO, Roberto de. A indústria pesqueira no Brasil. Revista Agricultura em São Paulo, São Paulo, v. 2, n. 42, p. 95-127, 24 abr.1995. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/ftpiea/ASP6-0295.pdf. Acesso em:01 fev. 2021.

GOULARTI FILHO, Alcides. Da SUDEPE à criação da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca: as políticas públicas voltadas às atividades pesqueiras no Brasil. Revista Planejamento e Políticas Públicas, n. 49, p. 385-412, jul./dez. 2017.

JORGE, Janes. Tietê - o rio que a cidade perdeu: São Paulo, 1890-1940. São Paulo:

Alameda, 2006.

LEONARDI, Victor. Os historiadores e os rios: natureza e ruína na Amazônia brasileira.

Brasília: Paralelo 15, 1999.

Marildo Oliveira. Entrevista concedida a Simone Aparecida Quiezi. Lidianópolis-PR, 06 set. 2019.

Maurício de Oliveira. Entrevista concedida a Simone Aparecida Quiezi. Lidianópolis-PR, 25 nov. 2016; 06 set. 2019.

MOSLEY, Stephen. Common ground: integrated social and environmental history. Journal of Social History, v. 39, n. 3, p. 915-933, 2006.

MOTA, Lúcio Tadeu. Os Xetá no Vale do rio Ivaí 1840 - 1920. Maringá: Eduem, 2013.

MOTA, Lúcio Tadeu. A presença indígena no vale do Rio Tibagi/PR no início do século XX. Antíteses, v. 7, n. 13, p. 358-391, jan/jun. 2014.

MOTA, Lúcio Tadeu; NOVAK, Éder da Silva. Os Kaingang do Vale do Rio Ivaí-PR: história e relações interculturais. Maringá: Eduem, 2008.

NOELLI, Francisco Silva. A ocupação humana na região sul do Brasil: arqueologia, debates e perspectivas-1872-2000. Revista USP, n. 44, p. 218-269, dez/fev. 1999-2000.

NOELLI, Francisco Silva. Tesouro e Catecismos da língua Guarani de Antonio Ruiz de Montoya. Diálogos, v. 21, n. 3, p. 256-258, 01 set. 2017.

OLIVEIRA, Gabriel Pereira de. A corrida pelo rio: projetos de canais para o rio São Francisco e disputas territoriais no Império brasileiro (1846-1886). Rio de Janeiro: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2019.

PÁDUA, José Augusto; CARVALHO, Alessandra Izabel de. A construção de um país tropical: apresentação da historiografia ambiental sobre o Brasil. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 27, n. 4, p. 1311-1340, out./dez. 2020.

PÁDUA, José Augusto; CHAMBAULEYRON, Rafael. Apresentação Dossiê: Rios e Sociedades. Movimentos dos rios/Movimentos da História. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 39, n. 81, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1806-93472019v39n81-01. Acesso em: 21 ago. 2019.

PARÁ. Oficina de Capacitação de Dirigentes de Colônias. Colônia de Pescadores Z-20, o Centro de Capacitação do Pescador Artesanal do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia - CCPA/IPAM, o Instituto Amazônico de Manejo Sustentável dos Recursos Ambientais - I.A.R.A. 2004. Disponível em: https://pt.slideshare.net/zezinhocoimbra/cartilha-colnia-de-pescadores. Acesso: em 05 mar. 2020.

PARANÁ. Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística. Departamento de Estradas de Rodagem. Sistema Rodoviário Estadual 2019. Disponível em: http://www.der.pr.gov.br/sites/der/arquivos_restritos/files/documento/2020-10/sre_2019.pdf. Acesso em: 30 jan. 2021.

PAROLIN, Mauro et al. (Org.). Abordagem ambiental interdisciplinar em bacias hidrográficas no Estado do Paraná. Campo Mourão: Editora da Facilcam, 2010.

PORTELLI, Alessandro. A filosofia e os fatos. Revista Tempo, v. 1, n. 2, p. 59-72, 23 ago. 1996.

PORTELLI, Alessandro. Forma e significado na história oral: a pesquisa como um experimento em igualdade. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo, v. 14, p. 1-24, jan/jun.1997.

PORTELLI, Alessandro. Ensaios de história oral. In: PORTELLI, Alessandro; SANTHIAGO, Ricardo. Sempre existe uma barreira: a arte multivocal da história oral. Tradução de Fernando Luiz Cássio e Ricardo Santhiago. São Paulo: Letras e Vozes, p. 19-35, 2010.

QUIEZI, Simone Aparecida. Pescadores, indígenas, posseiros e agricultores no médio rio Ivaí: trajetórias, conflitos e transformações da paisagem (1870-1960). 2020. 274 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2020.

WORSTER, Donald. Nature’s economy: a history of ecological ideas. 2. ed. New York: Cambridge University Press, 1996.

Publicado
2021-06-29
Como Citar
QUIEZI, S.; ARRUDA, G. De balseiros a patrulheiros ambientais. Faces da História, v. 8, n. 1, p. 25-49, 29 jun. 2021.