Uma flor furou o asfalto?

O Cinturão Verde da cidade de São Paulo como Reserva da Biosfera (1988-1994)

Palavras-chave: Patrimônio Ambiental, Expansão Urbana, UNESCO

Resumo

Com a criação das Reservas da Biosfera da Mata Atlântica e do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, o Brasil iniciava sua vinculação ao programa da UNESCO “O Homem e a Biosfera” com o desafio de compatibilizar as atividades humanas e a conservação do meio ambiente em um denso espaço urbano. Este estudo buscou compreender, pela perspectiva histórica, os jogos de interesses subjacentes a salvaguarda dos remanescentes de vegetação nativa da presença de condutas predatórias dos recursos naturais em favorecimento de interesses privados, explicitando os limites das proposições internacionais frente às contradições internas da prática de proteção ambiental e dos usos do espaço numa região metropolitana. 

Biografia do Autor

Carlos Alberto Menarin, Secretaria Estadual de Educação

Doutor em História pelo Programa de Pós-Graduação da Unesp/Assis, Assis, SP. Professor da Rede Pública do Estado de São Paulo, E. E. Vila do Lago, Tarumã.

Referências

AMATI, Marco (org.). Urban Green Belts in the Twenty-first Century. Hampshire: Ashgate, 2008.

ANDRADE, Carlos Drummond. Nova reunião: 23 livros de poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

AFONSO, Cintia Maria. A paisagem da baixada santista: urbanização, transformação e conservação. São Paulo: Ed. USP/FAPESP, 2006.

AYRES, Ana Carolina Moreira. O ciclo da Caapora: a RMSP e o Parque Estadual da Cantareira. São Paulo: Annablume, 2008.

BARBOSA, Fellipe de Oliveira. A implementação de grandes projetos urbanos: o trecho leste do Rodoanel Mário Covas no município de Ribeirão Pires. 2019. 91f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

BARROSO, José R. G. Cenários e implicações socioespaciais do Rodoanel Mário Covas. 2004. 128f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

BOYDEN, Stephen; CELECIA, John. A ecologia das megalópoles. O Correio da UNESCO, Rio de Janeiro, ano 09, n. 06, junho de 1981.

BRASIL. SNUC. Sistema Nacional de Unidades de Conservação. Texto da Lei 9985 de 18 de julho de 2000 e vetos da Presidência da República ao PL aprovado pelo Congresso Nacional e Decreto n. 4.340, de 22 de agosto de 2002. Cadernos da Reserva da Biosfera, São Paulo, Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, vol. 18, 2004.

CAMPOS, Pedro Henrique Pedreira. Estranhas catedrais: as empreiteiras brasileiras e a Ditadura Civil-Militar, 1964-1988. Niterói: UFF, 2014.

CANABRAVA, Alice Piffer. Chácaras paulistanas (primeiros estudos). In. CANABRAVA, Alice Piffer. História econômica: estudos e pesquisas. São Paulo: Hucitec; UNESP, 2005. p. 233-242.

CINTURÃO verde. Correio paulistano, São Paulo, p. 4, 05 out. 1947. Disponível em: http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx acesso 10 abr. 2021.

CINTURÃO verde. Correio paulistano, São Paulo, p. 4, 08 fev. 1949. Disponível em: http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx acesso 10 abr. 2021

COSTA NETO, José de Brito. A questão fundiária nos Parques e Estações Ecológicas do Estado de São Paulo: origens e efeitos da indisciplina da documentação e do registro imobiliário. 2006. 236f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

CRISPIM, Felipe Bueno. Entre a Geografia e o Patrimônio: estudo das ações de preservação das paisagens paulistas pelo Condephaat (1969-1989). São Bernardo do Campo: Ed. UFABC; FAPESP, 2016.

D’ÁVILA, Frederico. Indicação n. 3983. São Paulo: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, 11 nov. 2019. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/propositura/?id=1000310865 acesso em 14 abr. 2021.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Eschalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. Tradução Cid K. Moreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

ECONOMIA da escassez. Correio paulistano, São Paulo, p. 4, 09 out. 1949. Disponível em: http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx acesso em 10 abr. 2021.

FERREIRA, Ivini Vaneska Rodrigues Ferraz. Ações coletivas e movimento ambiental na Cantareira: 25 anos de resistência. 2013. 210f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

GIACOMINI, Valerio. Por um urbanismo humano. O Correio da UNESCO, Rio de Janeiro, ano 09, n. 06, junho de 1981.

GUTBERLET, Jutta. Cubatão: desenvolvimento, exclusão social, degradação ambiental. Tradução Kay-Uwe Gutberlet. São Paulo: USP, 1996.

IACOVINI, Rodrigo Faria Gonçalves. Rodoanel Mário Covas: atores, arenas e processos. 2013. 211f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

JORGE, Janes. Tietê: o rio que a cidade perdeu. São Paulo: Alameda, 2006.

LITORAL norte pode morrer na praia. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. A3, 11 abr. 2005. Disponível em: https://acervo.folha.com.br/index.do acesso em 25 maio 2020.

MARCONDES, Maria José de Azevedo. Cidade e natureza: proteção dos mananciais e exclusão social. São Paulo: Ed. USP; FAPESP; Studio Nobel, 1999.

MARICATO, Ermínia. O impasse da política urbana no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2011.

MAUTNER, Yvonne Miriam Martha. A periferia como fronteira de expansão do capital. In: DEÁK, Csaba, SCHIFFER, Sueli Ramos. (Org.). O processo de urbanização no Brasil. 2. ed. São Paulo: Ed. USP, [1999] 2010.

MENARIN, Carlos Alberto. Entorno da Sustentabilidade: a Reserva da Biosfera do

Cinturão Verde da Cidade de São Paulo (1971 – 2008). 2013. 261f. Tese (Doutorado em

História). – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2013.

MONBEIG, Pierre. Novos estudos de Geografia Humana. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1957.

MONBEIG, Pierre. Pioneiros e fazendeiros de São Paulo. 2. ed. Tradução Ary França e Raul de Andrade e Silva. São Paulo: Hucitec; Polis, [1952] 1998.

MONBEIG, Pierre. O crescimento da cidade de São Paulo. In: SZMRECSÁNYI, Tamás (org.). História econômica da cidade de São Paulo. São Paulo: Globo, 2004. p. 14-115.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. 6. reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

MORSE, Richard M. Formação histórica de São Paulo. São Paulo: Difel, 1970.

OBRA do Rodoanel pode danificar áreas sensíveis. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. A14, 29 jan. 2003. Disponível em: https://acervo.folha.com.br/index.do acesso em 25 maio 2020.

PRADO JR. Caio. Evolução política do Brasil e outros estudos. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

RADIOGRAFIA do Globo inclui cinturão de SP. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. A14, 29 jan. 2003. Disponível em: https://acervo.folha.com.br/index.do acesso em 25 maio 2020.

REGO, Pedro da Costa. Os Cinturões Verdes. Correio da manhã, Rio de Janeiro, p. 4, 09 maio 1953. Disponível em: http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx acesso em 10 abr. 2021.

RIBEIRO, Wagner. A ordem ambiental internacional. São Paulo: Contexto, 2001.

RIBEIRO, Wagner. Governança da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo. Mercator, Revista de Geografia da UFC, Fortaleza, ano 08, n. 16, p. 19-32, 2009.

RISCOS Ambientais. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. A2, 11 nov. 2002. Disponível em: https://acervo.folha.com.br/index.do acesso 25 maio 2020.

SEABRA, Odette Carvalho de Lima. Os meandros dos rios nos meandros do poder: Tietê e Pinheiros: valorização dos rios e das várzeas na cidade de São Paulo. São Paulo: Alameda, 2015.

SACHS, Ignacy. Rumo à ecossocioeconomia: teoria e prática do desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2007.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Instituto Florestal.

Serviços Ecossistêmicos e Bem-Estar Humano na Reserva da Biosfera do Cinturão verde da Cidade de São Paulo. São Paulo: Instituto Florestal, 2020a.

SÃO PAULO (Estado). Lei n 17.293, de 15 out. 2020b. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2020/lei-17293-15.10.2020.html acesso em 16 abr. 2021.

SÃO PAULO (Estado). Relatório final da CPI das indenizações ambientais. São Paulo: Assembleia Legislativa, relatório aprovado em 03 de maio de 2001. Disponível em: <http://www.al.sp.gov.br/StaticFile/documentacao/cpi_indenizacoes_ambientais_relatorio_final.htm> Acesso em 12 dez. 2020.

SCHIFFER, Sueli (org.). Globalização e estrutura urbana. São Paulo: Hucitec/FAPESP, 2004.

SCHWENCK JUNIOR, Paulo de Mello (org.). Regularização Imobiliária de Áreas Protegidas: Trabalhos Forenses, Relatórios Técnicos e Jurisprudência. São Paulo: Procuradoria Geral do Estado; Secretaria de Estado do Meio Ambiente, 1998. v. 1.

SCIFONI, Simone. A construção do Patrimônio Natural. 2006. 294 f. Tese. (Doutorado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

SOB pressão ambiental Rodoanel é adiado. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. C, 6 nov. 2002. Disponível em: https://acervo.folha.com.br/index.do acesso 25 maio 2020.

TERRENOS a prestações. Correio paulistano, São Paulo, p. 4, 13 maio 1951. Disponível em: http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx acesso 10 abr. 2021.

VICTOR, Mauro Antonio Moraes. A devastação florestal. São Paulo: Sociedade brasileira de silvicultura, 1976.

VICTOR, Mauro Antonio Moraes; FOREST, Malcolm. Cantareira: Patrimônio Arquitetônico e Natural. São Paulo: Arquivo do Estado; Imprensa Oficial, 2000.

VICTOR, Rodrigo A. B. M.; COSTA NETO, José B. (Org.). A aplicação do conceito de Reserva da Biosfera em áreas urbanas: o caso da reserva da biosfera do cinturão verde da cidade de São Paulo. Estudo de caso elaborado para a UNESCO. Coordenação RBCVSP. São Paulo: RBCVSP / UNESCO, 2003.

VICTOR, Rodrigo A. B. São Paulo Greenbelt. Millennium Ecosystem Assessment, 2005. Disponível em: http://www.millenniumassessment.org/en/SGA.Brazil.html acesso em 14 abr. 2021.

VILLAÇA, Flávio. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Nobel, 2012.

Publicado
2021-06-30
Como Citar
MENARIN, C. A. Uma flor furou o asfalto?. Faces da História, v. 8, n. 1, p. 165-189, 30 jun. 2021.