Clamor Social e Ciclos de Protestos no Brasil em 2013:

aproximações conceituais à luz das teorias dos movimentos sociais

Autores

  • Silvia Cristianne Nava Lopes Universidade Federal do Maranhão - UFMA
  • Anne Caroline Nava Lopes

Palavras-chave:

Movimentos sociais. Participação do cidadão. Política e governo.

Resumo

O presente texto visa problematizar alguns aspectos do conceito de ciclo de protestos, relacionados à teoria clássica dos movimentos sociais e, para tanto, utilizará, como campo analítico, os ciclos de protestos ocorridos no Brasil em junho de 2013 que acabaram de completar dez anos. Assim, nos propomos a suscitar reflexões teóricas ligadas aos aspectos mais gerais daqueles acontecimentos marcadamente de clamor social, sobretudo no que respeito ao processo de formação dos ciclos de protestos. Para tanto, nos valemos, num primeiro momento, de uma discussão indispensável sobre as teorias dos movimentos sociais e, em seguida, abordamos as categorias de análise de estruturas de oportunidades políticas e repertório para realizarmos, por fim, algumas pontuais reflexões sobre o assunto, principalmente em razão de termos o marco histórico da década deste acontecimento.

Referências

ALONSO, Angela. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Revista Lua Nova, São Paulo, v.1, n.76, p. 49-86, jul. 2009.

ABERLE, David Friend. The peyote religion among the navaho. 2. ed. University of Oklahoma Press. 1966

BLUMER, Herbert. Group tension and interest organization. Proceedings of the second annual meeting. 1949.

CALIL, Gilberto Grassi Calil. Embates e disputas em torno das jornadas de junho. Revista Projeto História, v. 47, 2014. [ONLINE]. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/17155>. Acesso em: 11 nov. 2023.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro. Zahar, 2013.

CORRÊA, Felipe. Movimentos sociais, burocratização e poder popular: da teoria à prática. Passa Palavra [ONLINE]. Disponível em: < https://passapalavra.info/2010/11/32138/>. Acesso em: 01 jul. 2023.

DIREITOS HUMANOS, Comissões: manifestações no Brasil e o direito a cidade. Agência Senado, Brasília, 11 jul. 2013. Disponível em: <http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2013/07/11/manifestacoes-revelam-luta-por-2018direito-a-cidade2019-dizem-jovens>. Acesso em: 27 jun. 2023.

FROMM, Erich. Escape from freedom. New York: Rinehart and Co., 1941. 1, p. 74ss. Edição brasileira: O medo à liberdade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.].

GOFFMAN, Erving. The presentation of self in everyday life. Garden City. New York: Doubleday Anchor, 1959.

GOHN, Maria da Glória. Teoria dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Edições Loyola, 1997.

GOHN, Maria da Glória. Teoria dos movimentos sociais. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e redes de mobilizações civis no Brasil contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2010.

GOHN, Maria da Glória. A sociedade brasileira em movimento: vozes das ruas e seus ecos políticos e sociais. Rev. Cad. Metrop., São Paulo, v. 27, n. 71, p. 431-441, ago. 2014.

GUSFIELD, Joseph. Social structure and moral reform: a study of the womans christian temperance union. n. 6. p. 221-232. American Journal of Sociology, 1955.

HEBERLE, Rudolf. Social movements: an introducion to political sociology. New York: Appleton-Century-Crofts Inc, 1951.

HOFFER, Eric. The true believer: thoughts on the nature of mass movements. Nova York: Harper and Row. 1951.

JENKINS, Craig. Resource mobilization theory and the study of social movements. Annual Review of Sociology, 9, 527-553, 1983.

KORNHAUSER, William. The politics of mass society. New York: Free Press. 1959.

LIPSET, Seymour Martin. Agrarian socialism. Berkeley: Un. California Press, 1950.

McCARTHY, John; ZALD, Mayer. Comparative perspectives on social movements. p. 141-151. Cambridge: Cambridge Un. Press, 1977.

MCADAM, D.; TARROW, S.; TILLY, C. Para mapear o confronto político. Revista Lua Nova, São Paulo, v.1, n.76, p. 11-48, jul. 2009.

MELUCCI, Alberto. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis: Vozes, 2001.

MELUCCI, Alberto. Acción colectiva, vida cotidiana y democracía. México: El Colegio de México; Centro de Estudios Sociológicos; 1999.

SANTOS, Gustavo Sousa. O sujeito, as coisas e a rede nas jornadas de junho. Rev. Cad. Metrop., São Paulo, v. 24, n. 55, pp. 911-935, set./dez. de 2022.

SELZINCK, Philip. The organizational weapons. New York: McGraw-Hill, 1952.

SCHWARZ, Roberto, David; MARICATO, Ermínia; BRITO, Felipe et. al. Cidades rebeldes: passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013.

SMELSER, Neil. Teoria del comportamiento colectivo. México: FCE, 1962.

TARROW, Power in movement: social movements, collective action and politics. Nova Iorque, Cambridge University Press, 1994.

TARROW, Sidney. O poder em movimento: movimentos sociais e confronto político. Petrópolis: Vozes, 2009.

TILLY, Charles; TARROW, Sidney. Contentions politics. London, Paradigm Publishers, 2007.

TURNER, Ralph.; KILLIAN, Lewis. Collective behavior. New York: Prentice-Hall, 1957.

Downloads

Publicado

2023-12-19

Como Citar

LOPES, Silvia Cristianne Nava; LOPES, Anne Caroline Nava. Clamor Social e Ciclos de Protestos no Brasil em 2013: : aproximações conceituais à luz das teorias dos movimentos sociais. Faces da História, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 87–109, 2023. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/2590. Acesso em: 22 abr. 2024.