O despertar do período moderno:

uma síntese analítica e histórica das tecnologias implementadas nas Caravelas: bússola, astrolábio, leme e terceiro mastro

Autores

  • Elvis Rogerio Paes Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"

Palavras-chave:

Sociedade; Tecnologia; Instrumentos Navais; Grandes Navegações.

Resumo

Este artigo tem por objetivo realizar uma síntese investigativa nas atualizações de alguns instrumentos, que tornaram a caravela uma embarcação mais eficiente para realizar os propósitos mercantis europeus. A intenção é analisar como a modernização de quatro instrumentos náuticos, a saber: a bússola, o astrolábio, o leme e o terceiro mastro, foi fundamental para as transformações das rotas marítimas e o desenvolvimento do que os historiadores conceituaram como Grandes Navegações. A análise percorrerá averiguando estas inovações, as quais foram possíveis devido a dois principais processos: uma apropriação de tecnologias já existentes e a renovação econômica e social europeia, um fator indispensável para a expansão comercial. Desta forma, a pesquisa elege como objeto central de estudo estas duas variáveis que fizeram a engenharia naval europeia avançar nas navegações ultramarinas a partir do final do século XV.

Biografia do Autor

Elvis Rogerio Paes, Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"

Sou formado em História pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Campus Jacarezinho-PR. Também sou graduado em Pedagogia pela Faculdade Educacional da Lapa - Lapa - PR. Atualmente estou em fase final de Especialização em Interdiciplinaridades em Humanas pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), e, sou mestrando no programa de Pós-Graduação em História na  UNESP- Campus Assis, na linha de pequisa de Políticas, Ações e Representações.  

Referências

ACZEL, Amir D. Bússola: A invenção que mudou o mundo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá: história. São Paulo: Moderna, 2014.

ARRUDA, José Jobson de Andrade; PILLET, Nelson. Toda a História: História Geral e História do Brasil. São Paulo: Editora Ática, 1997.

BARATA, Jaime Martins. O Navio “São Gabriel” e as naus Manuelinas. Lisboa: Coimbra, 1970.

BISPO, Cláudio dos Santos et al. Empreendedorismo e Inovação. Salvador: IBES, 2012.

BÚSSOLA. In: Dicionário Online Priberam de Português. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/b%C3%BAssola#:~:text=1.,Agulha%20de%20marear. Acesso em: 2 ago. 2023.

CAMPOS, Antônio Carlos. O uso da bússola e a declinação magnética da Terra. [S. d.]. Disponível em: https://cesad.ufs.br/ORBI/public/uploadCatalago/11193004042012Cartografia_Basica_Aula_6.pdf. Acesso em: 27 jul. 2023.

CARABELA. In: DICCIONARIO DE LA LENGUA ESPAÑOLA. [Madri-ES: Real Academia Española, 2023]. Disponível em: http://dle.rae.es/?id=7NbEHEC. Acesso em: 18 nov. 2018.

CARAVOS. In: DICIO: Dicionário online de Português. [Porto-PT: 7Graus, 2023]. Disponível em: https://www.dicio.com.br/caravos. Acesso em: 13 jun. 2023.

CITTERT, Pieter Hendrik van. Astrolabes: A critical description of the astrolabes, noctilabes and quadrants in the care of the Utrecht University Museum. E. J. Brill, Leinden, Neatherlands, 1954.

COMISSÃO CULTURAL DE MARINHA. Astrolábio Atocha III. Lisboa: Museu da Marinha. Disponível em: Comissão Cultural de Marinha. Acesso em: 2 ago. 2023.

DOMINGUES, Francisco Contente. História da Marinha Portuguesa: Navios, Marinheiros e Arte de Navegar (1500-1668). Lisboa: Academia de Marinha, 2012.

ESPÍNDOLA, Carlos José. As inovações no transporte de cargas marítimas: apontamentos para a pesquisa. Cadernau, Cadernos do Núcleo de Análises Urbanas, Rio Grande-RS, v. 6, n. 1, p. 1-16. 2013. Disponível em: https://periodicos.furg.br/cnau/article/view/4766. Acesso em: 26 jul. 2023.

FERLIN, Edson Pedro; CARVALHO, Neil Franco de; ELEUTÉRIO, Marco Antonio Masoller. Os cursos de Engenharia na modalidade EAD: proposta de cursos na área de computação, produção e elétrica. In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABED DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 2015, São Paulo. Anais. São Paulo: Abed, 2015. p. 1-10.

FONSECA, Quirino da. Os navios do infante D. Henrique. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1933.

GESTEIRA, Heloisa Meireles. O astrolábio, o mar e o Império. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 1011-1027, jul./set. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/hcsm/a/cKRFM73SThtPpqQZfqVQgrG/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 26 jul. 2023.

GUARINELLO, Norberto Luiz. História Antiga. São Paulo: Contexto, 2013.

GUITARRARA, Paloma. Bússola. Brasil Escola, 2023. Disponível em https://brasilescola.uol.com.br/geografia/bussola.htm. Acesso em: 28 nov. 2023.

HODGETT, Gerald A. J. História social e econômica da Idade Média. Rio de Janeiro, Zahar, 1975.

LIMA, Pedro Miguel Ramos Costa. Animais perigosos e agentes silenciosos: Interações entre humanos e tubarões no Atlântico (Séculos XV a XVIII). Lisboa: NOVAFCSH, 2022.

MARQUES DOS SANTOS, Paulo. Instituto Astronômico e geofísico da USP: Memórias sobre sua formação e evolução. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

MENDONÇA, Henrique Lopes de. Estudos sobre navios portugueses nos seculos XV e XVI. Lisboa: Typographia da Academia Real das Sciencias, 1892.

MONTEIRO, Alexandre; CASTRO, Luís Filipe; GÉNIO, Margarida. Vida e morte do caravelão “que andava no castelo e trato de arguim”: autópsia de um navio dos descobrimentos. A Herança do Infante. Sessão III. Revolução Geográfica, 2011. Disponível em: Vida-e-morte-do-caravelao-que-andava-no-Castelo-e-trato-de-Arguim-autopsia-de-um-navio-dos-Descobrimentos.pdf (researchgate.net). Acesso em: 11 jul. 2023.

OLIVEIRA, Carlos Tavares de. China: origens da navegação marítima. Revista Portos e Navios. Jul. 2003. Disponível em http://www.camarabrasilchina.com.br Acesso em: 25 nov. 2018.

OLIVEIRA, Leonina. Astrolábio. Song Lyrics of Leonina Oliveira. Nov. 2012. Disponível em: Song Lyrics of Leonia Oliveira: ASTROLÁBIO (musicasleoniaoliveira.blogspot.com). Acesso em: 27 jul. 2023.

PELIZZARI, Leonardo Carvalho. Barco multiuso de pequeno porte. Rio de Janeiro: UFRJ, 2020.

PESSOA JR., Osvaldo. Modelo causal dos primórdios da ciência do magnetismo. Scientia e Studia. São Paulo, v. 8, n. 2, p. 195-212, 2010. Disponível em: SciELO - Brasil - Modelo causal dos primórdios da ciência do magnetismo Modelo causal dos primórdios da ciência do magnetismo. Acesso em: 8 ago. 2023.

ROSEMBERG, Nathan; BIRDIZELL Jr., L. E. A história da riqueza do ocidente. Rio de Janeiro: Record, 1986.

SILVA, Rodrigo Pereira. O ceticismo da fé: Deus: uma dúvida, uma certeza, uma distorção. São Paulo: Ágape, 2018.

SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

VICENTINO, Cláudio. História Geral. São Paulo: Scipione, 1997.

VIGO, Jorge Ariel. Fuego y Maniobra: breve história del arte táctico. Argentina: Docuprint S.A., 2005.

Downloads

Publicado

2023-12-19

Como Citar

PAES, Elvis Rogerio. O despertar do período moderno: : uma síntese analítica e histórica das tecnologias implementadas nas Caravelas: bússola, astrolábio, leme e terceiro mastro. Faces da História, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 151–168, 2023. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/2608. Acesso em: 22 abr. 2024.