O cômico como estratégia retórica no debate político

Autores

  • Jaime Fernando dos Santos Junior UFRGS/doutorando

Palavras-chave:

Riso; Política; Retórica; Comédia; Hamlet.

Resumo

O objetivo do texto é refletir sobre a utilidade do riso na política. Para isso, se começa fazendo uma reflexão a respeito dos motivos e cumplicidades associadas ao cômico e as dificuldades de se fazer rir em nossos dias. A partir daí se retorna aos preceitos contidos em obras retóricas da antiguidade, em autores como Aristóteles, Cícero e Quintiliano, para se pensar o emprego do riso e das emoções em benefício da eloquência. Ao fim, se analisa o príncipe Hamlet, da peça homônima de Shakespeare, procurando compreender como realiza a introdução de um personagem cômico na tragédia e como constrói sua loucura a partir de máximas agudas e sugestões contidas nas obras retóricas que trataram sobre o riso.

Referências

ARISTÓTELES. Retórica. In: Obras Completas de Aristóteles. Vol. VIII. Tomo I. Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. Imprensa Nacional – Casa da Moeda. Lisboa: 2005.

ARISTÓTELES. Poética. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, 2008.

BERGSON, Henri. O riso. Ensaio sobre a significação do cômico. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1983.

CICERO, Marco Tulio. De ridiculis. In: MARQUES JUNIOR, Ivan Neves. O riso segundo Cícero e Quintiliano: tradução e comentários de De Oratore, livro II, 216-291 (De ridiculis)e da Institutio Oratoria, livro VI, 3 (De Risu). Dissertação de mestrado. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2008.

DAVIS, J. C. Utopia y la sociedad ideal: estúdio de la literatura utópica inglesa, 1516 – 1700. México: Fondo de Cultura Económica, 1985.

DESTRÉE, Pierre. A comédia na Poética de Aristóteles. Organon, Porto Alegre, n.49, jun-dez. 2010.

ECO, Umberto. O nome da rosa. São Paulo: Record, 1986.

FOUCAULT, Michel. História da loucura: na Idade Clássica. São Paulo: Perspectiva, 2008.

GINZBURG, Carlo. O alto e o baixo: o tema do conhecimento proibido nos séculos XVI e XVII. In: GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfología e história. São Paulo: Companhia das Letras, 989.

GÓES, Paulo de. O problema do riso em O nome da rosa, de Umberto Eco. Revista de Filosofia Aurora, Curitiba, v. 21, n.28, jan-jun. 2009.

HANSEN, João Adolfo. “Retórica da Agudeza”. Letras Clássicas (USP), São Paulo, v. 4, 2002.

HILL, Christopher. O mundo de ponta-cabeça: ideias radicais durante a revolução inglesa de 1640. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

HILL, Christopher. The Antichrist in seventeeth-century England. London: Verso, 1990.

MARAVALL, José Antonio. A Cultura do Barroco: Análise de uma Estrutura Histórica. São Paulo: Edusp, 1997.

MARQUES JUNIOR, Ivan Neves. O riso segundo Cícero e Quintiliano: tradução e comentários de De Oratore, livro II, 216-291 (De ridiculis) e da Institutio Oratoria, livro VI, 3 (De Risu). Dissertação de mestrado. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2008.

PLATÃO. A República. Lisboa: Caloustre Gulbenkian, 1993.

QUINTILIANO, Marco Fábio. De risu. In: MARQUES JUNIOR, Ivan Neves. O riso segundo Cícero e Quintiliano: tradução e comentários de De Oratore, livro II, 216-291 (De ridiculis) e da Institutio Oratoria, livro VI, 3 (De Risu). Dissertação de mestrado. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2008.

SANTOS JUNIOR, Jaime Fernando dos. Regicídio e inação em Hamlet: consequências e estratégias. In: CLOSEL, Régis Augustus Bars; MARIN, Ronaldo (org.). Shakespeare 450 anos. São Paulo: Instituto Shakespeare Brasil: BMA Edições, 2015.

SHAKESPEARE, William. A tragédia de Hamlet Príncipe da Dinamarca; tradução Péricles Eugênio da Silva Ramos. São Paulo: Livraria José Olympio Editôra, 1955.

SHAKESPEARE, William. The Tragical History of Hamlet Prince of Denmark. In: ORGEL, Stephen; BRAUNMULLER, A.R. The Complete Pelican Shakespeare. Penguin: New York, 2002.

SKINNER, Quentin. Razão e retórica na filosofia de Hobbes. São Paulo: UNESP, 1999.

Downloads

Publicado

2018-01-03

Como Citar

SANTOS JUNIOR, Jaime Fernando dos. O cômico como estratégia retórica no debate político. Faces da História, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 218–233, 2018. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/372. Acesso em: 3 mar. 2024.