O comércio colonial lusitano em transformação:

o caso do vinho e algodão em Moçambique (1890-1923)

  • Thiago Henrique Sampaio UNESP/Assis
Palavras-chave: Imperialismo, Colonialismo, Vinho para o preto, Moçambique, Algodão

Resumo

Com as mudanças na política colonial europeia em finais de Oitocentos em relação a África, Portugal precisou adequar suas políticas econômica para impor uma nova dinâmica colonizadora em seus territórios. Com a fraqueza de seu comércio colonial perante as demais nações europeias em África, uma das soluções encontradas foram pautas protecionistas para o desenvolvimento e arranque das suas relações comercias com suas colônias. O presente artigo busca discutir as transformações econômicas portuguesas e analisar o caso do vinho e algodão em Moçambique que serviram como importantes produtos do comércio colonial.

Referências

ALBUQUERQUE, Mousinho. Mousinho governador de Lourenço Marques. Lourenço Marques: Imprensa Nacional de Moçambique, 1956.

ALBUQUERQUE, Mousinho. Moçambique (1896-1898). Lisboa: Agência Geral das Colônias, 1934.

ALEXANDRE, Valentim. Nação e Império. IN: BETHENCOURT, Francisco; CHAUDHURI, Kirti (Orgs). História da Expansão Portuguesa: do Brasil para África (1808-1930). Lisboa: Círculo de Leitores, 1998.

ALEXANDRE, Valentim. Origens do colonialismo português moderno (1822-1891). Lisboa: Sá da Costa, 1979.

ALEXANDRE, Valentim. Portugal em África (1825-1974) - Uma perspectiva global. Penélope: fazer e desfazer a história. Lisboa, n. 11, 1993, pp. 53-66.

ALEXANDRE, Valentim. Velho Brasil, novas Áfricas. Portugal e o Império (1808-1975). Porto: Afrontamento, 2000.

ANDRADE, Alfredo Freire. Colonização de Lourenço Marques. Porto: Typographia de A. J. da Silva Teixeira, 1897.

ANDRADE, A. Freire. Relatórios sobre Moçambique. Lourenço Marques: Imprensa Nacional, 1907.

ARRIGHI, Giovanni. O longo século XX: dinheiro, poder e as origens de nosso tempo. Rio de Janeiro: Contraponto/ São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

CAPELA, José. A burguesia mercantil do Porto e as colônias, 1834-1900. Porto: Afrontamento, 1975.

CAPELA, José. O álcool na colonização do Sul do Save 1860-1920. Litografia Ach. Brito, Maputo, 1995.

CAPELA, José. O vinho para o preto: notas e textos sobre a exportação do vinho para a África. Porto: Afrontamento, 1973.

CLARENCE-SMITH, Gervase. O terceiro império português (1825-1975). Lisboa: Teorema, 1990.

ENES, Antonio. Moçambique: relatório apresentado ao governo. Lisboa: Agencia Geral das Colônias, 1893.

FERNANDES, Paulo Jorge. Mouzinho de Albuquerque: um soldado ao serviço do Império. Lisboa: A esfera dos livros, 2010.

FORTUNA, Carlos. O fio da meada: o algodão de Moçambique, Portugal e a Economia-mundo (1860-1960). Lisboa: Afrontamento, 1993.

GUIMARÃES, Ângela. Uma corrente do colonialismo português: A Sociedade de Geografia de Lisboa (1875-1895). Lisboa: Livro Horizonte, 1984.

HAMMOND, Richard J. Portugal and Africa, 1815-1910. A Study in UneconomicImperialism. Stanford: Stanford University Press, 1966.

HOBSON, J. A. Imperialism: a study. Ann Arbor: The University of Michigam Press, 1965.

HOBSBAWM, Eric. A era do capital: 1848-1875. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios: 1875-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

LAINS, Pedro. Causas do colonialismo português em África, 1822-1975. Análise Social, vol. XXXIII, 1998, pp. 463-469.

LAINS, Pedro. O protecionismo em Portugal (1842-1913): um caso mal sucedido de industrialização concorrencial. Análise Social. Vol. XXIII, 1987, pp. 481-503.

LENIN, Vladimir. O Imperialismo: fase superior do capitalismo. São Paulo: Centauro, 2008.

MARQUES, A. H. de Oliveira. Nova História da Expansão Portuguesa (volume XI). O Império Africano (1890-1930). Lisboa: Editorial Estampa, 2001.

MENDES, J. M. Amado. Sobre as relações entre a indústria portuguesa e a estrangeira no século XIX. Análise Social, vol. XVI, 1980, pp. 31-62.

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS DA MARINHA E DO ULTRAMAR. Elementos para as estatísticas da província de Moçambique. Lourenço Marques: Imprensa Nacional, 1907.

NEWITT, Malyn. História de Moçambique. Mem Martins: Europa-América, 1997.

NEWITT, Malyn. The portugueses on the Zambezi: an historical interpretation of the prazo system. The Journal of African History, v. 10, 1969, pp. 67-85.

PAPAGNO, Giuseppe. Colonialismo e feudalismo. A questão dos prazos da coroa em Moçambique nos finais do século XIX. Lisboa: A Regra do Jogo, 1980.

PEDREIRA, Jorge M. Imperialismo e Economia. IN: BETHENCOURT, Francisco; CHAUDHURI, Kirti. História da Expansão Portuguesa: do Brasil para África (1808-1930). Lisboa: Círculo de Leitores, 1998.

RAMOS, RUI. História de Portugal. A Segunda Fundação (1890-1926). Lisboa: Editorial Estampa, 2001.

SAMODÃES, Conde de; SILVA, Manual Duarte Guimarães Pestana. Breves considerações sobre a exportação dos vinhos portugueses para as províncias ultramarinas. In: I CONGRESSO COLONIAL NACIONAL, Lisboa: dezembro de 1901 (1902). Lisboa: Sociedade de Geografia de Lisboa, 1901 (1902).

THOMAZ, Fernanda do Nascimento. Os “Filhos da Terra”: discurso e resistência nas relações coloniais no sul de Moçambique (1890 – 1930). 2008, 99 f. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal Fluminense. Niterói: 2008.

ZAMPARONI, Valdemir D. Entre Narros e Mulungos. 1998, 580 f. Tese (Doutorado emHistória) Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 1998.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
SAMPAIO, T. H. O comércio colonial lusitano em transformação:. Faces da História, v. 5, n. 1, p. 225-243, 30 jun. 2018.