Fontes orais e digitais

apontando possibilidades

  • Filipe Arnaldo Cezarinho UNICENTRO

Resumo

São múltiplos os discursos que permeiam a Guerra de Espadas em Cruz das Almas-BA. Com a sua criminalização, em 2011, potencializaram-se os enfrentamentos entre populares e membros do Estado nos diversos níveis sociais. Nosso objetivo no presente artigo é analisar os discursos da tradição e do crime tomando as práticas discursivas como produtoras de subjetividades. Para isso, coligimos duas tipologias de fontes históricas: a oral e a digital. Defendemos que o uso dessas duas fontes, em conjunto, permite acessar as constantes mudanças nos processos de constituição dos sujeitos no tempo e espaço. Ao mesmo tempo, abre-se a possibilidade de conjecturar sobre as limitações desses documentos quando vistos separadamente e, por outro lado, suas reais potencialidades quando tratados harmonicamente por historiadores (as) e a disciplina histórica.

Publicado
2019-06-21
Como Citar
CEZARINHO, Filipe Arnaldo. Fontes orais e digitais. Faces da História, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 223-245, jun. 2019. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/1292>. Acesso em: 24 ago. 2019.