Cor e cidadania no jornal A Federação: fragmentos biográficos de abolicionistas negros

  • Tuane Ludwig DIHL

Resumo

O movimento abolicionista configurou-se como um campo privilegiado para o envolvimento de diversas parcelas da sociedade, desde os grupos de elite até as classes populares, nas suas diversas categorias e cores. Dessa maneira, o presente trabalho tem como objetivo analisar a forma como abolicionistas negros – sujeitos que lutavam diariamente para conquistar e se manter nos círculos letrados e nos debates sobre os rumos do país - desvelam-se no jornal republicano A Federação. A análise das vidas de José do Patrocínio, Aurélio de Bittencourt e Luiz Gama nos possibilitará observar se e como as categorias de cor e raça eram acionadas pelos periodistas dessa folha para identificá-los, e como se vinculavam à demarcação de hierarquias sociais e especialmente à conquista e ao exercício da cidadania.

##submission.authorBiography##

Tuane Ludwig DIHL

Mestranda em História - Programa de Pós-graduação em História - UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Campus São Leopoldo – Av. Unisinos, 950, CEP: 93022-000, São Leopoldo, Rio Grande do Sul – Brasil. Bolsista CAPES.

Publicado
2017-09-06
Como Citar
DIHL, Tuane Ludwig. Cor e cidadania no jornal A Federação: fragmentos biográficos de abolicionistas negros. Faces da História, [S.l.], v. 3, n. 2, p. 36-56, set. 2017. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/382>. Acesso em: 15 set. 2019.