Cotidiano e escravidão urbana na Zona da Mata de Minas Gerais: Juiz de Fora Século XIX

  • Caio BATISTA

Resumo

O presente estudo busca compreender alguns aspectos do cotidiano e da escravidão urbana em Juiz de Fora, cidade localizada na Zona da Mata de Minas Gerais, durante a segunda metade do século XIX. Para alcançar esse objetivo será analisado o processo de roubo ocorrido na casa do Barão da Bertioga em 1867. A partir do estudo desse documento e com o auxílio da produção historiográfica sobre o assunto será possível analisar algumas redes sociais desenvolvidas entre escravos, livres e libertos na cidade de Juiz de Fora. Além deste aspecto, a análise processual irá permitir resgatar alguns aspectos do cotidiano dos escravos, livres e libertos envolvidos nessa ação criminal. Juto a essa análise será desenvolvido um estudo sobre o desenvolvimento socioeconômico dessa localidade.

##submission.authorBiography##

Caio BATISTA

Mestre em História - Doutorando em História – Programa de Pós-Graduação em História – Faculdade de História – UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora, campus Juiz de Fora- Instituto de Ciências Humanas, Rua José Lourenço Kelmer, s/n – Campus Universitário,Bairro São Pedro – CEP: 36036-900 – Juiz de Fora – Minas Gerais – Brasil. Bolsista CNPq.

Publicado
2017-09-06
Como Citar
BATISTA, Caio. Cotidiano e escravidão urbana na Zona da Mata de Minas Gerais: Juiz de Fora Século XIX. Faces da História, [S.l.], v. 3, n. 2, p. 113-135, set. 2017. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/386>. Acesso em: 15 set. 2019.