Biscoitos históricos: a musealização da Fábrica Leal Santos – Rio Grande/ RS

  • Olivia Silva NERY

Resumo

Este artigo se dispõe a discutir sobre as formas de preservação de patrimônios industriais, sendo a musealização uma delas. Nesse sentido, o objeto de análise é a Fábrica de Biscoitos Leal Santos, do interior do Rio Grande do Sul, e o espaço para analisar essa relação é o Museu da Cidade do Rio Grande, na mesma cidade. Para tanto, são utilizadas as mais recentes produções sobre o patrimônio industrial no Brasil e no Mundo para refletir sobre os vestígios materiais deixados pela Leal Santos e seu caráter de objeto museal, e de que forma eles auxiliam a narrar uma história industrial local e, também, nacional.

##submission.authorBiography##

Olivia Silva NERY

Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural (Universidade Federal de Pelotas) – Doutoranda em História - Programa de Pós-Graduação em História – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS – Av. Ipiranga, 6681 - Partenon, Porto Alegre - RS, 90619-900 – Brasil. Bolsista Capes.

Publicado
2017-09-07
Como Citar
NERY, Olivia Silva. Biscoitos históricos: a musealização da Fábrica Leal Santos – Rio Grande/ RS. Faces da Historia, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 73-89, set. 2017. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/405>. Acesso em: 19 nov. 2017.
Seção
Artigos para Dossiê