Ditadura Militar brasileira e as estratégias para o controle e fomento do Cinema e da Cultura.

  • Bruno josé Zeni Unesp/Assis

Resumo

Neste trabalho investigamos como a ditadura militar interferiu no campo cultural e em especial no campo cinematográfico. Neste sentido, dividimos este trabalho em duas partes. A primeira parte tenta problematizar a criação de agencias de fomento ao cinema, tais como o Instituto nacional de Cinema(INC) e também a empresa brasileira de filmes (EMBRAFILME), e o debate entorno dessas instituições. Na segunda parte nos centramos em especial sobre os caminhos do estado militar nas diversas produções culturais, com a criação de diversas agências para o fomento e regulamentação das atividades no âmbito da cultura. Esta abordagem sobre as politicas oficiais se justifica pela contraposição ao grande número de estudos sobre a atuação da esquerda no campo cultural, ora, temos em mente que a cultura é um campo de disputa de discursos, neste sentido, problematizar as políticas oficiais pode nos revelar informações que sem as quais, a compreensão do período ficaria superficial.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
ZENI, Bruno josé. Ditadura Militar brasileira e as estratégias para o controle e fomento do Cinema e da Cultura.. Faces da Historia, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 321-333, jun. 2018. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/894>. Acesso em: 15 nov. 2018.