A santidade episcopal e sua relação com o poder político e civil na Gália da segunda metade do século VI

  • João Paulo Charrone

Resumo

A hagiografia do período e da sociedade merovíngia afirma, entre outras coisas, que os bens monopolizados pela instituição eclesiástica indicam o caminho e o comportamento esperado para se atingir a salvação como algo único para superar as dificuldades terrestres e adquirir o direito de um julgamento favorável nesta vida, bem como a legitimação do poder episcopal junto a qualquer outro poder a que queria fazer frente. Neste sentido, procura-se aqui analisar como os bispos, os controladores desse “mercado” simbólico, utilizaram o discurso hagiográfico para afirmaram-se enquanto autoridade religiosa e civil.

##submission.authorBiography##

João Paulo Charrone

Professor Assistente I – Universidade Federal do Piauí, Campus Professora Cinobelina Elvas. BR 135, km 3, Bairro Planalto Horizonte, CEP: 64900-000, Bom Jesus/PI – Brasil. Mestre em História - Doutorando - Programa de Pós-graduação em História – Universidade Federal Fluminense.

Publicado
2017-08-12
Como Citar
CHARRONE, João Paulo. A santidade episcopal e sua relação com o poder político e civil na Gália da segunda metade do século VI. Faces da Historia, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 183-203, ago. 2017. ISSN 2358-3878. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/98>. Acesso em: 23 ago. 2017.