MEXER COM PAPEL, RASGAR PAPEL, RECICLAR PAPEL

O (DES)PRETENSIOSO RELATO DE LYGIA BOJUNGA

  • Graziele Maria Valim Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Diana Navas Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Lygia Bojunga; Intramuros; Ficcionalização; Autora; Estratégias metaficcionais.

Resumo

O presente estudo, que assume como corpus o romance Intramuros, de Lygia Bojunga, objetiva investigar como, por meio da recorrência a estratégias metaficcionais, assiste-se ao desnudar do processo de construção do texto literário e, em especial, à ficcionalização da figura da autora. Propondo a (con)fusão entre a autora-narradora e a autora empírica, a obra promove a reflexão em torno dos limites entre o real e a ficção, o que contribui, de forma significativa, no processo de formação de um leitor crítico e reflexivo não apenas do texto literário, mas de sua realidade também textualmente construída. Recorreremos, para o alcance deste objetivo, principalmente, às reflexões de Gustavo Bernardo, Linda Hutcheon e Patricia Waugh.

Biografia do Autor

Diana Navas, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Pós-doutora pela Universidade de Aveiro, doutora em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Atua como professora no Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP

Publicado
2020-01-16
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES