Esta é uma revista criada e gerenciada exclusivamente por discentes e/ou ex-discentes do curso de pós-graduação em Psicologia da UNESP/Assis.

A Parrésia: Revista Discente de Psicologia publica artigos originais relacionados a diversas áreas da Psicologia e adota as normas de publicação ABNT. Os autores
interessados em submeter manuscritos a Parrésia devem seguir rigorosamente as normas descritas pela ABNT e nas instruções aos autores, publicados neste website. No concernente aos tipos de contribuição, conforme as normas da Parrésia, aceitamos manuscritos que se enquadrem nas seguintes categorias:

1- Estudos Empíricos: Trata­se de relatos de pesquisa original com fontes de dados primários ou secundários. Sua estrutura típica consiste em diferentes seções que refletem os estágios do processo de investigação e que aparecem com frequência na seguinte ordem: introdução (desenvolvimento do problema com revisão da literatura empírica concernente ao problema e apresentação dos propósitos de investigação); método (descrição dos participantes/sujeitos, instrumentos, materiais/equipamentos e procedimentos utilizados para condução da pesquisa); resultados (relato dos achados e análises); e discussão
(sumário, interpretação e implicações dos resultados). Contudo, a Parrésia não exige que os artigos submetidos obedeçam necessariamente esta ordem, e outros formatos poderão também ser aceitos pela equipe. Este tipo de contribuição deve ser feita em trabalhos entre 10 e 25 páginas, incluindo resumo, abstract, figuras, tabelas e referências. O resumo e o
abstract devem ter, cada um, entre 150 e 250 palavras.

2-  Revisão da Literatura: Trata­se de sínteses de pesquisa ou meta­análises e consistem em avaliação crítica de material já publicado. O propósito deste tipo de contribuição é que os autores integrem e avaliem material previamente publicado, considerando o progresso da pesquisa e buscando clarificar um problema específico. É esperado que os autores: (a) definam claramente um problema; (b) sumarizem investigações prévias para informar o leitor sobre o estado da pesquisa; (c) identifiquem relações, contradições, lacunas e/ou inconsistências na literatura; e (d) sugiram próximos passos de investigação para a resolução dos problemas identificados. Da mesma forma que os estudos empíricos, não há uma estrutura de seções pré­definida para este tipo de contribuição, de forma que os autores devem buscar um formato coerente para o texto. É fundamental que haja um argumento organizador e não somente uma compilação de pesquisas já realizadas. Este tipo de contribuição deve ser feita em trabalhos entre 10 e 25 páginas, incluindo resumo, abstract, figuras, tabelas e referências. O resumo e o abstract devem ter, cada um, entre 150 e 250 palavras.

3-  Artigos Teóricos: Trata-­se de trabalhos baseados na literatura empírica vigente para propor avanços teóricos. Espera­se que os autores apresentem o desenvolvimento de uma teoria para expandir ou refinar construtos teóricos, apresentem uma nova teoria ou analisem uma teoria existente, apresentando suas fraquezas ou demonstrem a vantagem de uma teoria sobre outra. Usualmente os autores de contribuições desta natureza analisam a consistência interna de uma teoria, bem como sua validade externa. As seções do trabalho podem variar como forma de busca de consistência. É fundamental que haja um
elemento propositivo no texto. 
Este tipo de contribuição deve ser feita em trabalhos entre 10 e 25 páginas, incluindo resumo, abstract, figuras, tabelas e referências. O resumo e o abstract devem ter, cada um, entre 150 e 250 palavras.

4-  Relato de Experiência Profissional: Estudo de caso, contendo análise de implicações conceituais, ou descrição de procedimentos ou estratégias de intervenção, contendo evidência metodologicamente apropriada de avaliação de eficácia, de interesse para a atuação de psicólogos em diferentes áreas. Este tipo de contribuição deve ser feita em trabalhos entre 10 e 25 páginas, incluindo resumo, abstract, figuras, tabelas e referências. O resumo e o abstract devem ter, cada um, entre 150 e 250 palavras.

5- Ensaio: Trata-se de texto que resulta de uma reflexão teórica ou metodológica mas que não se enquadrada nas categorias descritas acima. No ensaio os elementos de contradição precisam ser colocados em evidência de modo que diálogos e reflexões possam emergir em forma de um trabalho original. É possível que no ensaio os autores assumam mais a condição de sujeitos, não sendo imperativo que façam escritas impessoais, nem apresentem tabelas, dados e outros elementos comprobatórios típicos de um artigo acadêmico clássico. Este tipo de contribuição deve ser feita em trabalhos em até páginas, incluindo resumo, abstract e referências. O resumo e o abstract devem ter, cada um, entre 150 e 250 palavras.

6- ResenhaRevisão crítica de obra recém publicada (até 5 anos antes da data de submissão, outros casos serão avaliados pelo Conselho Geral), orientando o leitor quanto a suas características e usos potenciais. É fundamental que não se trate apenas de um sumário ou revisão dos capítulos da obra, mas efetivamente
uma crítica. Este tipo de contribuição está limitado a 5 páginas, com todos os seus elementos, e não deve conter resumo.

 

A Parrésia é uma revista acadêmica que tem por objetivos:

- Publicar, semestralmente, um periódico acadêmico de alta qualidade científica, organizado, dirigido e editorado por discentes;

- Promover o constante diálogo e debate entre as diversas áreas das Ciências Humanas;

- Possibilitar o intercâmbio de informações e experiências com outras instituições de ensino superior e de pesquisa;

- Contribuir para a divulgação e socialização do conhecimento.

Trata-se de uma revista interdisciplinar que busca estabelecer o conhecimento entre as linhas de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Psicologia da UNESP de Assis com outras disciplinas.

 

A estrutura administrativa e organizacional da Revista é composta pelos seguintes cargos e setores:

- Editor-Geral, responsável pelo gerenciamento de sistema, de avaliação e de cumprimento do Estatuto da Parrésia;

- Editor de Artigos-Livres, responsável pela edição dos artigos submetidos à seção de "artigos-livres";

- Editor de Dossiê, responsável pela edição dos artigos submetidos à seção de dossiê;

- Editor Especial, responsável pela edição dos artigos submetidos à seção especial

- Coordenação de Comunicação e Marketing (CCM), responsável pelas comunicações entre a equipe da Parrésia e o público externo;

- Coordenação Técnica (CT), responsável pela padronização visual e de comunicação da revista.

A Revista conta ainda com o Conselho Geral (CG), órgão colegiado composto por todos os membros da revista, com igualdade de voz e voto, e que é soberano nas decisões da Parrésia.

 

Breve histórico

A ideia da Revista aparece pela primeira vez no começo de 2014 em uma aula de Seminários de Pesquisa, com a turma de mestrandos que haviam entrado no curso no ano anterior. Inicialmente, a discussão parte inspirada em algumas experiências exitosas de outras pós graduações. Assim, os alunos passam a discutir essa possibilidade com os outros discentes da pós. Concomitante com esse processo, estávamos também construindo maior dialogo entre nós, discentes da pós graduação de psicologia na UNESP/Assis, e fortalecendo-nos enquanto grupo de alunos. Com a greve de 2014, algumas pautas e discussões ficaram esvaziadas, e parte do movimento foi perdendo força. No entanto, no segundo semestre desse ano, com a entrada dos novos alunos, as discussões foram retomadas e novamente o grupo de alunos se organizava, conseguindo cada vez mais espaço e conquistas. As reflexões referentes à revista foram retomadas e levadas a diante por alguns alunos, tomando novo corpo e se caracterizando cada vez mais como realidade.

No final de 2014, foram muitas as discussões e perguntas sobre o acontecimento da revista. Mas todo o processo se dava o mais democrático e coletivo possível. Foi então que, em 2015 firmamos melhor o contrato do que queríamos e de quem participaria da revista. Ao longo desse mesmo ano o grupo trabalhou bastante, se reunindo, pensando e repensando desde o nome até os cargos e fluxos dos artigos a serem recebidos; foi então, que fechamos o nome, o estatuto e o escopo da revista.

Decidimos que a revista seria discente, semestral, online, e que se chamaria Parrésia – Revista Discente de Psicologia; Um periódico que publicará artigos inéditos na área de psicologia e sociedade. Firmamos que a política editorial da revista será estimular a pesquisa e o debate interdisciplinar, amparados por uma perspectiva crítica e transformadora que considere a complexidade social e as singularidades dos sujeitos.