Uma Análise da velhice sob a ótica da Psicanálise em “Memória de minhas putas tristes”

  • Talita Baldin
  • Paulo Eduardo Viana Vidal

Resumo

O artigo visa tecer algumas considerações acerca da velhice a partir da ótica da psicanálise, utilizando como meio de ilustração fragmentos da obra Memória de minhas putas tristes, de Gabriel Garcia Márquez (2005). O objetivo é desenvolver uma análise da velhice e do velho, conforme nos conta o personagem da obra analisada. Consideramos que abordar a temática da velhice em articulação com tal obra literária é uma maneira de ilustrar algumas das relações vivenciadas pelos velhos na sociedade. Muitas vezes, trata-se de uma posição desinvestida, similar a uma “morte civil”. Por fim, à luz da Psicanálise, nos preocupamos com espaços de escuta e de diálogo, principalmente nos ambientes familiares, de modo que os velhos tenham condições de atualizarem a si mesmos enquanto sujeitos de desejos e interesses. Com isso, favorecemos seus sentimentos de pertencimento e criação de um lugar de referência, que demarque um espaço em que eles sejam capazes de se ver por se sentirem é capaz de se ver por se sentir objeto de desejo também do outro.

Publicado
2017-09-21
Como Citar
BALDIN, Talita; VIDAL, Paulo Eduardo Viana. Uma Análise da velhice sob a ótica da Psicanálise em “Memória de minhas putas tristes”. Parrésia: Revista Discente de Psicologia, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 17, set. 2017. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/parresia/article/view/330>. Acesso em: 18 dez. 2017.
Seção
Dossiê