Conjugando imagens, vertendo o olhar

notas sobre o filme “Perfect Sense”

  • Ariane Santellano de Freitas
  • Amadeu de Oliveira Weinmann

Resumo

O presente artigo propõe-se a refletir acerca dos conceitos de formação de imagens e do olhar, caros à psicanálise, no que toca o terreno da arte, em especial, do cinema. Para tanto, partimos do filme Perfect Sense como disparador para essa discussão. Nessa produção, a perda dos sentidos vivida pelos personagens, conjugada à profusão de imagens que chegam aos olhos do espectador ao longo do filme, convoca a depositar na tela o olhar como aquilo que decanta desse processo, uma vez que é somente quando algo do visível sai de cena que a potência do olhar emerge. Uma reflexão acerca do aspecto estético dessa construção narrativa, em que o modo de apresentação das imagens é revestido por uma carga de afeto e recoberto pela instância do narrador, também se faz presente nesse escrito. Essa produção fílmica nos possibilita avançar nos estudos do potente encontro entre arte e psicanálise ao trazer como interrogante de que forma o sujeito faz laço com as imagens e que elementos inconscientes entram nessa composição.

Publicado
2017-09-21
Como Citar
FREITAS, Ariane Santellano de; WEINMANN, Amadeu de Oliveira. Conjugando imagens, vertendo o olhar. Parrésia: Revista Discente de Psicologia, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 12, set. 2017. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/parresia/article/view/515>. Acesso em: 18 dez. 2017.
Seção
Artigos-livres