Marfins africanos em trânsito

apontamentos sobre o comércio numa perspectiva atlântica (Angola, Benguela, Lisboa e Brasil, Séculos XVIII-XIX)

Autores

  • Cristina Rogéria Alves

Palavras-chave:

Marfins; África; Comércio

Resumo

A existência de um comércio transatlântico de marfins envolvendo a costa ocidental africana e o Brasil foi apontada pelo historiador Russell-Wood, todavia ainda não foi objeto de estudo. Por sua vez, a proposta do presente artigo é elucidar alguns aspectos desse comércio - para além dos fatores econômicos - inserindo-o numa dinâmica cultural e social, que considera a atuação dos sujeitos envolvidos nesse trânsito, bem como verificar os usos e valores desse material nas diferentes margensdesse oceano.

Biografia do Autor

Cristina Rogéria Alves

Doutoranda em História Social da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em História Social da Cultura. Especialista em Inspeção Escolar. Professora Supervisora de Estágio no curso de Pedagogia (UAB/UFOP – Polo Lagoa Santa). Analista Educacional na Superintendência de Modalidades e Temáticas Especiais de Ensino na Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais.

Referências

AFONSO, Luís U. & HORTA, José da S. Olifantes afro-portugueses com cenas de caça/C. 1490- C.1540. In: ARTIS – Revista de História da Arte e Ciências do Patrimônio. Número 01, 2013. Disponível em: <http://luisurbanoafonso.weebly.com/uploads/2/6/8/6/26862325/pdf_artigo.pdf>. Acesso em 17/07/2015.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. “A rede econômica do mundo atlântico português”. In: BETHENCOURT, Francisco e CURTO, Diogo Ramada (dir.), A expansão marítima portuguesa: 1400-1800, Lisboa: Edições 70, 2010.

ALMEIDA, Carla B. Starling de. Medicina Mestiça: saberes e práticas curativas nas minas setecentistas. São Paulo: Annablume, 2010.

ARMITAGE, David. Três conceitos de História Atlântica. Traduzido por Juliana Jardim de Oliveira. Revista de História da Unisinos. Vol.18, no2, maio/agosto de 2014. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/historia/article/viewFile/7035/4260. Acesso em: 24/08/2015.

CANDIDO, Mariana P. Merchants and the business of the slave trade at Benguela, 1750-1850. In: African Economic History, Número 35, 2008. P. 1-30. Texto gentilmente fornecido pela autora.

CANDIDO, Mariana P. Negociantes baianos no porto de Benguela: redes comerciais unindo o Atlântico setecentista. In: GUEDES, Roberto (Org.). África: brasileiros e portugueses. Séculos XVI-XIX. 1a Edição. Rio de Janeiro: Mauad X, 2013.

CAVAZZI, João A. Descrição histórica dos três reinos do Congo, Matamba e Angola. Tradução Graciano Maria de Leguzzano. Volume I. Lisboa: Junta de Investigações doUltramar, 1965.

COSTA, Marcondes L. da; RODRIGUES, Suyanne F. S.; HOHN, Helmut. Jarina: o marfim das biojoias da Amazônia. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rem/v59n4/ v59n4a059.pdf>. Acesso em 08/08/2015.

ESPINOZA, Edgard O.; MANN, Mary Jacque. Identification guide for ivory and ivory substitutes. WWWF, Trafic in co-operation with the cites secretodat, 1999.

FARIA, Sheila de Castro. “Damas mercadoras: as pretas minas no Rio de Janeiro, século XVIII-1850”. In: SOARES, Mariza de Carvalho (Org.). Rotas atlânticas da diáspora africana: da Baía do Benim ao Rio de Janeiro. Niterói: Ed. UFF, 2007. P.101-134.

FERNANDES, Valentim. Códice Valentim Fernandes. (Leitura Paleográfica, notas e índices de José Pereira da Costa). Lisboa: Academia Portuguesa da História, 1997.

P. 111. Apud: AFONSO, Luís U. & HORTA, José da S. Olifantes afro-portugueses com cenas de caça/C. 1490- C.1540. In: ARTIS – Revista de História da Arte e Ciências do Patrimônio. Número 01, 2013. Disponível em: <http://luisurbanoafonso.weebly.com/ uploads/2/6/8/6/26862325/pdf_artigo.pdf>. Acesso em 17/07/2015.

FURTADO, Júnia F. Barbeiros, cirurgiões e médicos na Minas colonial. Revista do Arquivo Público Mineiro, vol. 41, jul.-dez. 2005, p. 101-102.

GSCHWEND, Annamarie Jordan. The story of Süleyman: celebrity elephants and other exotica in Renaissance Portugal. Pachyderm Productions, Zürich & Philadelphia: 2010.

LAPA, José R. do A. A Bahia e a Carreira da Índia. São Paulo: Hucitec, 2000.

LUÍS, João Baptista Gime. O comércio do marfim e o poder nos territórios do Kongo, Kakongo, Ngoyo e Loango: 1796-1825. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa, 2016.

LÚZIO, Jorge M. S. Sagrado marfim - O Império português na Índia e as relações intracoloniais Goa e Bahia, século XVII: iconografias, interfaces e circulações. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2011.

MELO, Iaci I. C. de. As imagens jesuítas nos séculos XVII e XVIII no Pará. Dissertação (Mestrado em Artes). Universidade Federal de Minas Gerais. 2011.

MILLER, Joseph. A economia política do tráfico angolano de escravos no século XVIII. In: PANTOJA, Selma e SARAIVA, José F. S. Angola e Brasil nas rotas do Atlântico Sul. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

MONUMENTA MISSIONÁRIA AFRICANA. África Ocidental (1643-1646). Agência Geral do Ultramar, Vol. 1 - 01.009, 1960.

MOTA, Márcio Pereira. Marfim e medicina na modernidade portuguesa: aportes pontuais. No prelo: 2016. Texto gentilmente cedido pelo autor.

RESENDE, Maria L. C. e SILVEIRA, Natália C. Misericórdias da Santa Casa: um estudo de caso da prática médica nas Minas Gerais oitocentista. Revista de História Unisinos no 10. p. 5-13, janeiro/abril de 2006.

ROSS, Doran H. Imagining Elephants: An Overview. Elephant: The Animal and Its Ivory in African Culture. Ed. Doran H. Ross. Los Angeles: Fowler Museum of Cultural History, UCLA, 1992. 1-39.

ROSS, Emma George. Afro-Portuguese Ivories. In: Heilbrunn Timeline of Art History. New York: The Metropolitan Museum of Art, 2000. Department de Arts of África, Oceania e Américas do Metropolitan Museum of Art. Disponível em: < http://www.metmuseum.org/toah/hd/apiv/ hd_apiv.htm>. Acesso em 22/08/2015.

SANTOS, Eduardo. Angolana (Documentação sobre Angola). Instituto de Investigação Científica e Tropical. Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga. Lisboa, 1995.

SILVA, João de Mattos e, Contribuição para o estudo da região de Cabinda, Lisboa: Typographia Universal, 1904.

SILVA, Simone Trindade V. da. Penca de Balangandãs. In: Cadernos do MAV- EBA-UFBA. Ano 3, Número 3; 2006.

THORNTON, John. A África e os africanos na formação do mundo atlântico (1400-1800). Trad. Marisa Rocha Mota. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

VANSINA, Jan, A África equatorial e Angola: as migrações e o surgimento dos primeiros Estados. In: NIANE, Djibril Tamsir, História geral da África IV: África do século XII ao XVI, Brasília: Ed. UNESCO/Ministério da Educação Brasil, 2010.

WONDJI, C. Os estados e as culturas da Costa da Alta Guiné. In: OGOT, B. A. História geral da África, V: África do século XVI ao XVIII. Brasília: UNESCO/Ministério da Educação Brasil, 2010.

Downloads

Publicado

2017-09-06

Como Citar

ALVES, Cristina Rogéria. Marfins africanos em trânsito : apontamentos sobre o comércio numa perspectiva atlântica (Angola, Benguela, Lisboa e Brasil, Séculos XVIII-XIX). Faces da História, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 8–21, 2017. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/facesdahistoria/article/view/380. Acesso em: 18 maio. 2024.