História como fonte artística

explicando arquivos, criando imagens; criando arquivos, explicando imagens

  • Francielly Rocha Dossin
Palavras-chave: Incômodo; Sidney Amaral; Abolição; Arte contemporânea; Antirracismo

Resumo

Este artigo propõe uma análise da obra Incômodo, do artista Sidney Amaral, compreendendo-a como um trabalho que atua entre as evidências visuais e a construção de novas histórias. Nessa obra o artista apresenta sua interpretação sobre a representação da abolição da escravatura no Brasil utilizando-se de história, arquivo e memória, como uma fonte para a criação artística. Em uma composição de três aquarelas e dois desenhos, Sidney Amaral monta um painel e convida o espectador a pensar na história, em especial as representações históricas da narrativa hegemônica,
através de uma imagem outra.

Biografia do Autor

Francielly Rocha Dossin

Doutora em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis) com estágio doutoral (sanduíche) na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (École des hautes études en sciences sociales, EHESS, Paris). Bacharel em Artes Plásticas e Mestre em Artes Visuais (processos artísticos contemporâneos) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC, Florianópolis).

Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe. Epílogo. In: História da vida privada no Brasil 2. Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo, Companhia das Letras, 1997a, p. 439-440.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. Vida privada e ordem privada no Império. In: História da vida privada no Brasil 2. Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo, Companhia das Letras, 1997b, p. 11-93.

AMARAL, Sidney. Sobre a trajetória do artista e a obra Incômodo de 2014. São Paulo, Ateliê do artista, 15 set. 2015. [Entrevista concedida a Francielly Rocha Dossin].

ASSIS, Machado de. A Semana – Jornal Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, 14 de maio de 1893, XIX, n. 133. Hemeroteca digital da Fundação Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro BARTHES, Roland. A Câmara Clara. Lisboa: Edições 70, 2005, 172 p.

BLUM, Julia. Os dois bodes do Yom Kippur. 13 out. 2016. In: Blog de Estudos Judaicos: Fórum oficial do Instituto Israelita de Estudos Bílblicos. Disponível em: <http://jewishstudies.eteacherbiblical.com/pt-br/os-dois-bodes-do-yom-kippur/>. Acesso em: 22 out. 2016.

CONDURU, Roberto. Arte Afro-brasileira. Belo Horizonte: C/ Arte, 2007.

COSTA, Sérgio. Dois atlânticos: teoria social, anti-racismo, cosmopolitismo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

FLORES, Maria Bernardete Ramos; MELO, Sabrina Fernandes. A libertação de Cam: discriminar para igualar. Sobre a questão racial brasileira. In: RODRIGUES, C.; LUCA, T.; GUIMARÃES, V. (Org.) Identidades brasileiras: composições e recomposições. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014.

GASKELL, G. A. Dictionary of All Scriptures and Myths: A Classic Reference Guide to the Sacred Language of the Religions of the World. Eugene: Wipf&Stock, 2012.

GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo: Ed.34, 2001.

HALL, Stuart. The Spectacle of the ‘Other’. In: Representation: Cultural Representations and Signifying Practices. London: Sage/Open University, 1997.

KOSSOY, Boris; CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. O Olhar Europeu: o negro na iconografia brasileira do século XIX. São Paulo: EDUSP, 1994.

KOUTSOUKOS, Sandra Sofia Machado. No estúdio do fotógrafo: representação e autorepresentação de negros livres, forros e escravos no Brasil da segunda metadedo século XIX. Tese de doutorado apresentado ao Programa de Pós-Graduação de Multimeios. Campinas, SP: Unicamp, 2006.

LARA, Silvia Hunold. Escravidão, cidadania e história do trabalho no Brasil. In: Proj. História. São Paulo (16) fev. 1998. 25-38 pp.

LIMA, Heloisa Pires. A presença negra nas telas: visita às exposições do circuito da Academia Imperial de Belas Artes na década de 1880. In: 19&20, Rio de Janeiro, v. III, n. 1, jan. 2008. Disponível em: <http://www.dezenovevinte.net/obras/obras_negros.htm>. Último acesso em 07 de jan. 2016.

MARTINS, José de S. O cativeiro da terra. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

MAUAD, Ana Maria. Imagem e auto-imagem do segundo reinado. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe (Org.). História da vida privada no Brasil 2. Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007.

SCHWARCZ, Lilia Moritz; VAREJÃO, Adriana. Pérola Imperfeita: A história e as histórias na obra de Adriana Varejão. Rio de Janeiro: Cobogó, 2014.

SILVA, Claudinei Roberto da. In: Sidney. O Banzo, o Amor e a Cozinha de Casa. Curadoria Claudinei Roberto da Silva. São Paulo: IPSIS, 2015.

SIMIONI, A. P. C. Bordado e transgressão: questões de gênero na arte de Rosana Paulino e Rosana Palazyan. In: Proa – Revista de Antropologia e Arte [on-line]. Ano 02, vol.01, n. 02, nov. 2010. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/proa/ArtigosII/anasimioni.html>. Último acesso em: 15 de jan. 2016.

SLENES, Robert. Senhores e subalternos no oeste paulista. In: ALENCASTRO, Luiz Felipe (Org.). História da vida privada no Brasil 2. Império: a corte e a modernidade nacional. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.

VASCONCELLOS, Christianne Silva. O Uso de Fotografias de Africanos no Estudo Etnográfico de Manuel Querino. Sankofa. Revista de História da África e de Estudos da Diáspora Africana, São Paulo: USP, n. 4, dez. 2009.

WEIBEL, Peter. Globalization and Contemporary Art. In: BELTING, Hans ; BUDDENSIEG, Andrea ; WEIBEL, Peter (Org.). The Global Contemporary and the rise of new arte world. Karlsruhe: ZKM, Centre for Art and Media; Cambridge: MIT Press, 2013.

Publicado
2017-09-06
Como Citar
DOSSIN, F. R. História como fonte artística . Faces da História, v. 3, n. 2, p. 136-156, 6 set. 2017.