Intelectuais e pensamento democrático no Brasil durante a década de 1980

  • João Paulo Rossatti
Palavras-chave: Democracia; intelectuais brasileiros; redemocratização no Brasil

Resumo

Este artigo pretende apresentar de forma introdutória o pensamento de alguns intelectuais brasileiros que, ao longo dos anos 1980, pensaram como deveria ser a democracia no Brasil. A partir dessa premissa dividimos nosso texto em duas seções: na primeira buscamos expor as respostas para a pergunta “por que democracia?”, e como esses intelectuais a defenderam como a melhor forma de governo; na segunda seção, com o regime já estabelecido no país, intentamos mostrar a disputa discursiva que se instalou sobre o eixo temático “qual democracia”. Desse modo, buscamos apresentar as ideias de alguns intelectuais brasileiros que pensaram como e o porquê da democracia em nossas terras ao longo dos anos 1980.

Biografia do Autor

João Paulo Rossatti

Mestre pelo programa de pós-graduação em História da Universidade Federal de Mato Grosso e graduado em História pela UNICENTRO (Universidade Estadual do Centro-Oeste).

Referências

CARDOSO, Fernando H. Autoritarismo e democratização. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

CARDOSO, Fernando H. A democracia necessária. Campinas: Papirus, 1985.

CARDOSO, Fernando H. Desenvolvimento associado-dependente e teoria democrática. In: Alfred Stepan (org.). Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra. p.443-482, 1988.

CARDOSO, Fernando H.; FALETTO, Enzo. Dependência e desenvolvimento na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

HUNTINGTON, Samuel. A terceira onda: a democratização no final do século XX. SãoPaulo: Ática, 1994.

LAMOUNIER, Bolivar; WEFFORT, Francisco; BENEVIDES, Maria V. (Org.). Direito, cidadania e participação. São Paulo: T.A Queiroz, 1981.

LAMOUNIER, Bolívar. Partidos e utopias: o Brasil no limiar dos anos 90. São Paulo: Edições Loyola, 1989.

MOISÉS, José A. A transição política ou o longo percurso dentro do túnel. In: Revista Ciências sociais hoje – 1985 – (Anuário de Antropologia, Política e Sociologia).

MOISÉS, José A. Partido de massas: Democrático e socialista. In: SADER, Emir. E agora PT? Caráter e identidade. São Paulo, Brasiliense, 1986.

MOISÉS, José A. Dilemas da consolidação democrática no Brasil. In: Revista Lua Nova – São Paulo – Março 1989.

MOISÉS, José A. Os brasileiros e a democracia: bases sócio-políticas da legitimidade democrática. São Paulo: Ed. Ática, 1995.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A história política e o conceito de cultura política. In: Anais do X Encontro. Regional de História da ANPUH/MG “Minas, Trezentos Anos: Um Balanço Historiográfico”. LPH: REVISTA DE HISTÓRIA. No 6, 1996.

PINHEIRO, Paulo Sérgio. Violência e cultura. p.31-60. In: LAMOUNIER, Bolivar; WEFFORT, Francisco; BENEVIDES, Maria V. Direito, cidadania e participação. São Paulo: T.A Queiroz, 1981.

POULANTZAS, Nicos. A crise das ditaduras: Portugal, Grécia, Espanha. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

REIS, José Carlos. As identidades do Brasil: de Varnhagen a FHC. Rio de Janeiro: editora da FGV, 2006.

SANTOS, Wanderley G. dos. Reflexões sobre a questão do liberalismo: um argumento provisório. p. 157-190. In: LAMOUNIER, Bolivar; WEFFORT, Francisco; BENEVIDES, Maria V. Direito, cidadania e participação. São Paulo: T.A Queiroz, 1981.

SANTOS, Wanderley G. dos. Cidadania e justiça: a política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1987.

STEPAN, Alfred (org.). Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

WEFFORT, Francisco C. Por que democracia? São Paulo: Brasiliense, 1984.

WEFFORT, Francisco C. Qual democracia? São Paulo: Cia. das Letras, 1992.

Publicado
2017-09-06
Como Citar
ROSSATTI, J. P. Intelectuais e pensamento democrático no Brasil durante a década de 1980. Faces da História, v. 3, n. 2, p. 245-260, 6 set. 2017.