LETRAS DE AMOR E MORTE EM UM CONTO DE JOÃO ANTÔNIO NETO

  • Luís Fernando Barnetche Barth
  • Célia Maria Domingues da Rocha Reis

Resumo

Neste artigo, produzido na perspectiva comparada entre Literatura e Psicanálise, analisamos o conto “A morte às soltas”, de João Antônio Neto, escritor mato-grossense, cujo enredo se organiza em torno da leitura equivocada de determinada expressão em um bilhete e a escolha seletiva de situações pelo personagem protagonista, que inventariam a sua própria morte. A partir do estudo do lapso de leitura e da escansão dos significantes em jogo, o conto possibilita a investigação das vicissitudes do amor, enquanto um lugar vazio, e os efeitos da letra para o sujeito do inconsciente.

Publicado
2017-08-02
Como Citar
BARNETCHE BARTH, Luís Fernando; DA ROCHA REIS, Célia Maria Domingues. LETRAS DE AMOR E MORTE EM UM CONTO DE JOÃO ANTÔNIO NETO. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 21, p. 163-178, ago. 2017. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/18>. Acesso em: 18 dez. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES