GRACILIANO, HISTORIADOR DO PRESENTE

  • Sarah Ann Wells

Resumo

O ensaio propõe uma leitura do romance de Graciliano Ramos, Angústia (1936), como reflexão ambígua sobre a possibilidade de registrar o seu presente. Ele analisa o esforço de pensar a transição histórica, num momento que se proclama revolucionário, mas onde tudo parece ficar igual. Enfocando nas formas particulares da escritura pós-modernista da época, mostra como Graciliano constrói uma escritura que parece abranger a derrota das formas eufóricas modernistas, mas, ao mesmo tempo, resistir ao imperativo da época de fixar a realidade. Incorporando textos contemporâneos do arquivo da época, o ensaio articula um entre-lugar onde o romance de Graciliano procura intervir no presente através das ruínas do passado recente.

Publicado
2017-09-11
Como Citar
WELLS, Sarah Ann. GRACILIANO, HISTORIADOR DO PRESENTE. Miscelânea, [S.l.], v. 10, p. 23-41, set. 2017. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/438>. Acesso em: 22 set. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES