TRILHANDO O PÓS-MODERNO EM BORGES E PIGLIA

REFLEXOS ESPECULARES

  • Wellington Ricardo Fiorucci

Resumo

A poética de Jorge Luis Borges investe na desrealização dos gêneros textuais e legitima o jogo textual entre o ato da escritura e o da leitura, influenciando, assim, os autores que viriam a desencadear o movimento do pós-modernismo. Com efeito, seu conterrâneo e leitor profícuo Ricardo Piglia bebe em sua poética e a redimensiona tanto no âmbito da crítica quanto da ficção. Piglia, bem como outro expoente da pós-modernidade, Umberto Eco, alimenta no interior de sua produção referências tanto explícitas quanto implícitas ao pensamento do bruxo portenho. O estudo comparativo entre ambas as poéticas permite-nos conhecer de forma crítica a releitura da tradição perpetrada por Piglia em suas obras e a um só tempo investigar os mecanismos intrínsecos à linguagem que vêm configurando o pensamento literário atual em suas indivisíveis perspectivas: teoria, crítica e ficção.

Publicado
2017-09-11
Como Citar
FIORUCCI, Wellington Ricardo. TRILHANDO O PÓS-MODERNO EM BORGES E PIGLIA. Miscelânea, [S.l.], v. 10, p. 43-54, set. 2017. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/439>. Acesso em: 19 nov. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES