ABOIO

POESIA E CANTO NO COMPASSO DO GADO

  • Maria de Fátima R. Medina
  • Maria Aparecida R. Medina

Resumo

O aboio é instrumento de encontro entre corpo e voz, poesia e música, vaqueiro e sentimento estético. A partir de conversas com Valdomiro, informante principal de estudo de caso, este texto objetiva mostrar que o aboio faz parte do repertório de vaqueiro. O intérprete, com entonações longas e ritmadas em fôlego firme, acalma o rebanho de forma espetacular. Ao som cadenciado que ecoa por pastagens e estradas, o aboiador se transforma em poeta dos campos ao emocionar companheiros e moradores, além de encantar o gado com sua performance. A sonoridade pungente desse canto de trabalho, além de improvisada, é distinta em cada aboiador o qual, ao sentir-se empoderado, sobrepõe palavras ao privilegiar o engajamento poético-corporal no compasso do gado. “Obrigação de todo vaqueiro”, o aboio é relevante elemento do repertório de vaqueiro do vale do Rio Pampã-MG.

Publicado
2017-08-02
Como Citar
R. MEDINA, Maria de Fátima; R. MEDINA, Maria Aparecida. ABOIO. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 21, p. 51-72, ago. 2017. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/12>. Acesso em: 18 dez. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES