ORALIDADE E AUDITIVIDADE. TENTATIVA DE UM MAPEAMENTO TEÓRICO

  • Gabriel Borowski

Resumo

O presente esboço consiste numa tentativa de revisão do conceito de auditividade, insinuado por Antonio Candido, elaborado por Luiz Costa Lima, desenvolvido por João Cezar de Castro Rocha e retomado atualmente por Marília Librandi-Rocha. O meu objetivo é apontar para a pertinência da relação de distância ou proximidade entre os sujeitos envolvidos numa modalidade específica de comunicação, isto é, a comunicação literária. No final do trabalho evoco um estudo de Marisa Lajolo para introduzir uma distinção entre a persuasão oral de caráter integrador, que visa a uma sensação de comunidade entre o narrador e o destinatário, e a persuasão auditiva de caráter desagregador, que reforça a distância entre o emissor e o receptor.

Publicado
2017-08-02
Como Citar
BOROWSKI, Gabriel. ORALIDADE E AUDITIVIDADE. TENTATIVA DE UM MAPEAMENTO TEÓRICO. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 21, p. 31-50, ago. 2017. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/10>. Acesso em: 18 dez. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES