TENDÊNCIAS PROGRESSISTAS E CONSERVADORAS NA IMPRENSA PERIÓDICA FEMININA PORTUGUESA DE OITOCENTOS

  • Ana Costa Lopes

Resumo

A imprensa periódica feminina do século XIX foi, em Portugal, palco da luta pela afirmação das mulheres contra a desigualdade de género e contra a discriminação. Pugnaram as oitocentistas contra tabus e preconceitos de ambos os sexos que impediam a igualdade de direitos civis e políticos, as diversas “emancipações”, a paridade na instrução e o exercício de uma profissão. Ao contrário destas, outras colaboradoras defenderam posições conservadoras. Este artigo pretende mostrar aspectos do diálogo entre estas duas tendências, privilegiando a primeira.

Publicado
2018-12-20
Como Citar
COSTA LOPES, Ana. TENDÊNCIAS PROGRESSISTAS E CONSERVADORAS NA IMPRENSA PERIÓDICA FEMININA PORTUGUESA DE OITOCENTOS. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 24, p. 27-43, dez. 2018. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/1216>. Acesso em: 21 ago. 2019.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES