O CANTO DO SOBREVIVENTE CATÁBASE E NÓSTOS NA ESCRITA TESTEMUNHAL DE PRIMO LEVI

  • Anna Basevi

Resumo

O topos narrativo da catábase apresenta-se como modelo da literatura de testemunho do século XX. Em particular, o inferno dantesco constitui a referência principal para a narração sobre Auschwitz em Se questo è un uomo (É isto um homem?) de Primo Levi. O diálogo intertextual estabelece-se, todavia, com outros relatos de aprisionamento, como as Recordações da casa dos mortos de Dostoievski (Cavaglion). Em La trégua (A trégua), a descrição da anábase (a subida), por outro lado, coincide com o retorno, um nóstos “aberto” (Jankélévitch), descrito a partir da lição de Homero e ao mesmo tempo carregado de novos paradoxos e cesuras. Catábase e nóstos transformam o sobrevivente (já estrangeiro absoluto no Lager) em estranho na própria pátria e ao mesmo tempo em um aedo moderno comprometido com a tarefa memorial (Gagnebin). À “sombra de Ulisses” (Boitani), o revenant (Semprun) é aquele que não pode deixar de narrar.

Publicado
2018-06-12
Como Citar
BASEVI, Anna. O CANTO DO SOBREVIVENTE CATÁBASE E NÓSTOS NA ESCRITA TESTEMUNHAL DE PRIMO LEVI. Miscelânea: Revista de Literatura e Vida Social, [S.l.], v. 22, p. 57-77, jun. 2018. ISSN 1984-2899. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/1087>. Acesso em: 17 jun. 2018.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES