A LITERATURA NÃO ATURA

UMA REFLEXÃO SOBRE EDUCAÇÃO E CULTURA EM MOVIMENTO

  • Frederico Garcia Fernandes Universidade Estadual de Londrina/Professor Associado
  • Adreana Dulcina Platt Universidade Estadual de Londrina/Professor Associado
Palavras-chave: Literatura; democracia; leitura; performance

Resumo

Esse artigo trata dos mecanismos de produção e circulação literária, levando em conta sua penetração social e relações institucionais. Na primeira parte, foi examinada a recolha de 98 mil exemplares do livro Enquanto o sono não vem, de José Mauro Brant, feito pelo Ministério da Educação, no ano de 2017, em bibliotecas e escolas públicas. A interferência do Estado tem como um de seus principais desdobramentos a retirada de autonomia do professor de literatura. Na segunda parte, foram discutidas algumas políticas públicas que envolvem direta ou indiretamente a literatura, suas dificuldades de permanência e frágeis iniciativas de integração entre o ensino com outros sistemas de produção cultural. A análise evidencia como a penetração da literatura no espaço público, por meio de performances, eventos e a ocupação de espaços culturais contribuem para o aperfeiçoamento das relações democráticas na sociedade.

Publicado
2020-01-16
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES