ENTRE SÍMILES E TRAÇOS, O HOMEM

  • Fábio José Santos de Oliveira

Resumo

Objetivamos com este ensaio analisar comparativamente o romance Vidas secas de Graciliano Ramos e alguns quadros do pintor Cândido Portinari. Interessa-nos aqui o fato de ambos relatarem, a seu modo e de acordo com sua própria arte, o homem imbricado em tramas estruturais que, no que toca à imagem, parecem deformá-lo, reforçando, no nível do conteúdo, o sufocamento que ele enfrenta ou tem de enfrentar socialmente. O mais interessante, porém, é o fato de que Graciliano Ramos e Cândido Portinari se assemelham também ao representarem a resistência desse homem diante das marcas de sufocamento.

Publicado
2017-09-11
Como Citar
DE OLIVEIRA, Fábio José Santos. ENTRE SÍMILES E TRAÇOS, O HOMEM. Miscelânea, [S.l.], v. 10, p. 55-66, set. 2017. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/miscelanea/article/view/440>. Acesso em: 19 nov. 2017.
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS/ORIGINAL ARTICLES